PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Viagens

Aeroporto de Guarulhos perdeu quase R$ 800 mi com pandemia, diz Anac

Agência Nacional de Aviação Civil aprova deduções do valor em contribuições devidas pela concessionária do terminal

Aeroporto Internacional de São Paulo, administrado pela GRU Airport, teve uma movimentação de 2,48 milhões de passageiros no mês de outubro
01 de Dezembro, 2021 | 12:26 pm
Tempo de leitura: 3 minutos

São Paulo — O Aeroporto Internacional de Guarulhos (SP), o maior do país, registrou perdas de R$ 799,7 milhões decorrentes da pandemia da Covid-19 em 2021. A informação é da diretoria da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), que aprovou, ontem, um pedido de reequilíbrio econômico-financeiro apresentado pela concessionária responsável pelo terminal para recomposição das perdas.

Veja mais: Por que passageiros do Nordeste pagam mais por teste de Covid em Guarulhos?

PUBLICIDADE

O valor (R$ 799,7 milhões) referente ao desequilíbrio verificado no período para o aeroporto foi atualizado pela inflação até 18 de dezembro. “O pedido analisado pela agência considerou as perdas econômico-financeiras decorrentes da queda de demanda de passageiros do transporte aéreo, derivada da pandemia de Covid-19, especialmente nos voos internacionais, que continuaram impactando o Aeroporto de Guarulhos devido ao fechamento de fronteiras e às barreiras sanitárias adotadas”, informou a nota da Anac.

Veja mais: Laboratório faz até 800 testes de Covid por dia no aeroporto de SP

Segundo a agência, a recomposição do equilíbrio econômico-financeiro do contrato será realizada somente após anuência da Secretaria Nacional de Aviação Civil, do Ministério da Infraestrutura. “Os valores devidos do reequilíbrio econômico-financeiro serão recompostos por meio de deduções na contribuição fixa devida pela concessionária em 2021 e, caso haja saldo remanescente, por deduções na contribuição variável em 2022″, diz a Anac.

PUBLICIDADE

“O reequilíbrio aprovado pela Anac observa o estrito cumprimento do contrato de concessão, garantindo a manutenção dos investimentos e a continuidade da prestação dos serviços à sociedade, além de mostrar aos potenciais investidores da 7ª rodada de concessão que a agência preza pela segurança jurídica e estabilidade regulatória, conforme observado em cada etapa do processo licitatório”, acrescentou a Anac.

A GRU Airport, concessionária que administra o Aeroporto Internacional de São Paulo, é uma empresa do consórcio formado pela Invepar (Investimentos e Participações em Infraestrutura S.A.) e ACSA (Airports Company South África). É o maior complexo aeroportuário da América do Sul e também a principal porta de entrada e saída de cargas do Brasil.

Em nota enviada à Bloomberg Línea, a GRU Airport confirmou que apresentou pedido de reequilíbrio econômico-financeiro à Anac em razão dos impactos decorrentes do Covid-19 no ano de 2021 e que aguarda a manifestação da Secretaria Nacional de Aviação Civil, do Ministério da Infraestrutura.

Movimentação

Em outubro (último dado disponível), a concessionária registrou a movimentação de 2,48 milhões de passageiros, crescimento de 49,7% na comparação com o mesmo período do ano anterior, segundo a GRU Airport. Se comparado com 2019, ano pré-pandemia, houve um recuo de 32,9%. Já o Terminal de Cargas (TECA) se mantém na liderança de volume de cargas, com 29 mil toneladas transportadas no mês.

O mês de outubro contabilizou 2,07 milhões de passageiros com origens ou destinos nacionais, em uma média diária de 583 pousos e decolagens. O resultado dessa movimentação apresenta um crescimento de 37,1% quando comparado com o mesmo mês de 2020, onde foram atendidos 1,51 milhões de passageiros com destinos nacionais. Na comparação com o mesmo período de 2019, houve uma retomada de 72%.

Movimentação de passageiros em voos domésticos representa 83,2% do total de quem passa pelo terminal em Guarulhosdfd

Mesmo com a abertura de algumas fronteiras, o tráfego doméstico ainda continua sendo o mais representativo, registrando cerca de 83,2% do total de passageiros que passam pelo aeroporto, informou a GRU Airport.

PUBLICIDADE

Já o tráfego internacional foi responsável por 16,8% do volume total de passageiros transportados no aeroporto em outubro, registrando cerca de 13,4 mil viajantes por dia. Em comparação com igual período de 2020, há um crescimento de 175,1%, com o registro de cerca de 4.900 passageiros por dia. Por outro lado, na base de comparação de 2019, há uma queda de 64,7%, quando a média diária era de 38,1 passageiros com destinos internacionais.

Atualmente, o aeroporto conta com 29 empresas nacionais e internacionais operando regularmente para 29 destinos internacionais, representando uma retomada de 58% quando comparado com os 50 destinos frequentemente operados antes da pandemia. Há voos internacionais regulares para Addis Ababa (Etiópia), Amsterdã, Assunção, Atlanta, Bogotá, Buenos Aires, Chicago, Cidade do México, Cancun, Assunção, Cidade do Panamá, Dallas, Doha, Dubai, Frankfurt, Houston, Istambul, Lisboa, Madrid, Miami, Montevidéu, Newark, Nova York, Paris, Porto, Santa Cruz de La Sierra, Santiago, Zurique e Toronto.

(Atualiza às 14h15 com nota da GRU Airport)

PUBLICIDADE

Leia também

Número de vistos de trabalho nos EUA tem a maior queda em dez anos

Sérgio Ripardo

Sérgio Ripardo

Jornalista brasileiro com mais de 25 anos de experiência, com passagem por sites de alcance nacional como Folha e R7, cobrindo indicadores econômicos, mercado financeiro e companhias abertas.

PUBLICIDADE