Mercados

Madero já emitiu ações para receber aporte de R$ 300 milhões

Em fato relevante hoje, rede de restaurantes informou que novas ações já foram integralizadas por gestora de private equity

Rede de restaurantes Madero recebeu aporte do Carlyle
29 de Novembro, 2021 | 06:50 pm
Tempo de leitura: 1 minuto

Em fato relevante nesta segunda (29), a rede de restaurantes Madero informou que aprovou, em assembleia geral extraordinária, a emissão de R$ 300 milhões em novas ações, que foram integralmente subscritas e integralizadas pelo Madrid Fundo de Investimento em Participações Multiestratégia, que pertence ao grupo Carlyle. Ao todo, a rede tem 250 restaurantes no país.

Trata-se de um desdobramento, exigido pela lei das S.A., para a concretização do aporte da gestora de private equity Carlyle, um dos seus principais acionistas desde 2017, para fazer frente a compromissos do Madero com credores e fornecedores. O Carlyle tinha 27% das ações do Madero antes desta operação. O fundador da empresa, Junior Durski, continua no controle acionário.

Veja mais: Madero ganha tempo com socorro de R$ 300 milhões do Carlyle

A rede passa por dificuldades financeiras. No auge da pandemia, o Madero teve que fechar lojas e demitir funcionários. Desde a reabertura das lojas, no entanto, o faturamento tem mostrado recuperação, mas as dívidas de curto prazo com bancos saltaram de R$ 349 milhões em 31 de dezembro de 2020 para R$ 667 milhões em 30 de setembro deste ano – crescimento de 91% (bancos tem outros R$ 350 milhões a receber com vencimento superior a 12 meses).

PUBLICIDADE

Além de empréstimos e financiamentos, as despesas com fornecedores, obrigações sociais e tributárias vencidas ou com vencimento nos próximos 12 meses atingem R$ 1,023 bilhão (alta de 49,6% em relação a dezembro). Em linguagem contábil, essas despesas compõem o passivo circulante.

Veja mais: Madero: Como a dívida virou bola de neve bilionária que ameaça a empresa

Na sua última divulgação de resultados, o Madero destacou que sua receita avançou aos níveis pré-pandemia. O grupo obteve receitas de R$ 310,4 milhões no terceiro trimestre de 2021 – crescimento de 66% em relação ao mesmo período de 2020, quando medidas sanitárias impediam o funcionamento da maioria dos restaurantes no país. No terceiro trimestre de 2021, o prejuízo foi de R$ 25,1 milhões contra perdas de R$ 137 milhões no mesmo período do ano passado.

Leia também:

PUBLICIDADE

Quando a sua carteira de fundos imobiliários vai parar de afundar?

Após ganhar as prévias, Doria enfrentará obstáculos dentro e fora do PSDB

Os projetos icônicos de Ruy Ohtake no Brasil e no exterior

Graciliano Rocha

Graciliano Rocha

Editor da Bloomberg Línea no Brasil. Jornalista formado pela UFMS. Foi correspondente internacional (2012-2015), cobriu Operação Lava Jato e foi um dos vencedores do Prêmio Petrobras de Jornalismo em 2018. É autor do livro "Irmã Dulce, a Santa dos Pobres" (Planeta), que figurou nas principais listas de best-sellers em 2019.

PUBLICIDADE