promo
Negócios

Petrobras amplia plano de investimentos para US$ 68 bi em cinco anos

A maior parte dos recursos vai para o desenvolvimento de ativos do pré-sal, considerados de melhor qualidade e com menor impacto ambiental

Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg Línea — A Petrobras ampliou seu plano de investimentos para US$ 68 bilhões entre 2022 e 2026, informou a empresa. O volume supera o plano estratégico anterior, divulgado no ano passado, que previa investimentos da ordem de US$ 55 bilhões no período entre 2021 e 2025.

A empresa também prevê desinvestimentos, com venda de ativos não-estratégicos, de US$ 15 bilhões a US$ 25 bilhões até 2026. “A venda de ativos vai contribuir para melhorar a eficiência operacional, o retorno sobre o capital e a geração de caixa necessários para manter a dívida em patamar adequado, alem de apoiar as melhores oportunidades de investimento”, afirmou a empresa em fato relevante.

No novo plano estratégico, a Petrobras vai destinar 84% dos recursos para exploração e produção de petróleo e gás natural. A maior parte desse montante - US$ 57 bilhões ou 67% do total - será investida no desenvolvimento de ativos do pré-sal.

“Essa alocação se encaixa no foco estratégico da empresa, com recursos cada vez mais concentrados em ativos em águas profundas e ultraprofundas, onde tem mostrado um grande diferencial competitivo ao longo dos anos, produzindo óleo de melhor qualidade e com menor efeito estufa”, afirmou a empresa, em comunicado.

Em 2022, a empresa planeja investir US$ 11 bilhões. Nos demais anos, a previsão é de investimentos de US$ 15 bilhões até 2023, sendo que em 2026 o montante sobe para US$ 16 bilhões.

Combustíveis fósseis

No comunicado, a Petrobras destaca que o plano prevê destinar US$ 1,8 bilhão a projetos relacionadas a iniciativas de descarbonização de operações, com destaque para separação de CO2, metano, além de sistemas para reduzir o carbono em refinarias, entre outros projetos. “A maioria dessas iniciativas está relacionada à otimização da produção e/ou eficiência operacional, com efeitos importantes na redução de emissões”, afirmou.

A estatal afirma que avança na análise de possíveis novos negócios que possa reduzir a exposição e a dependência da exploração de combustíveis fósseis, mas que ao mesmo tempo sejam lucrativos, garantindo a sustentabilidade da empresa no longo prazo. “Nesse sentido, uma governança para aprovação da entrada em novos negócios com foco na diversificação do portfólio da Petrobras está sendo criado, priorizando negócios relacionados ao segmento de energia ou novos produtos não previstos no atual plano estratégico”, informou.

Para o CEO da Petrobras, Joaquim Silva e Luna, o novo plano estratégico foca em “projetos com potencial de geração de recursos e contribuição para a sociedade” brasileira. “Priorizamos transformar recursos em riqueza para o país, seguindo o caminho sustentável para a transição energética. Nós expandimos nossa previsão de investimentos para os próximos anos e estamos fazendo isso com extrema responsabilidade e diligência na alocação de recursos “, disse Luna, em nota.

Leia também

Petrobras irá aportar R$ 100 mi em financiamento ambiental do BNDES

Toni Sciarretta

Toni Sciarretta

News director da Bloomberg Línea no Brasil. Jornalista com mais de 20 anos de experiência na cobertura diária de finanças, mercados e empresas abertas. Trabalhou no Valor Econômico e na Folha de S.Paulo. Foi bolsista do programa de jornalismo da Universidade de Michigan.