Mercados

Ibovespa oscila de olho em Brasília e digere projeção otimista do PIB

Economia divulga novas projeções e, apesar de reduzir ante as anteriores, ainda está otimista quanto ao crescimento do país

Preocupações quanto à manutenção do teto de gastos seguem pairando por Brasília, além da PEC dos precatórios, em análise no Senado
17 de Novembro, 2021 | 11:07 am
Tempo de leitura: <1 minuto

São Paulo — O Ibovespa abriu a sessão desta quarta (17) no azul, mas oscilando entre ganhos mais fracos e mais consistentes, enquanto investidores observam as movimentações em Brasília e digerem as divulgações do Ministério da Economia da manhã de hoje. Apesar de reduzir a estimativa para o produto interno bruto (PIB) deste ano, a pasta ainda espera crescimento de 5,1%, acima das projeções de analistas de mercado.

Enquanto isso, as preocupações quanto à manutenção do teto de gastos seguem pairando por Brasília, além da PEC dos precatórios, em análise no Senado. Os parlamentares cogitam fazer mudanças no texto, podendo até retirar esses gastos com despesas judiciais da regra do teto: caso sejam aprovadas, o projeto retorna à Câmara.

Veja mais: Governo não tem voto para ‘gambiarra’ no teto de gasto, diz senador do PSDB

Já nos Estados Unidos, os futuros rondam a estabilidade, de olho nos resultados corporativos, e com preocupações sobre a inflação global.

  • Perto das 10h55, o Ibovespa subia 0,20%, a 104.615 pontos
  • O dólar recuava 0,09%, para R$ 5,515, enquanto os vencimentos dos juros avançavam em sua maioria. O DI para janeiro de 2023 subia de 11,990% para 12,025%
  • Nos EUA, os futuros do Dow Jones caíam 0,14%, do S&P 500, 0,08%, enquanto os do Nasdaq subiam 0,05%

Contexto

O Ministério da Economia divulgou hoje novas projeções macroeconômicas e, apesar de algumas reduções ainda está mais otimista que o mercado em geral.

  • Estimativa do PIB deste ano foi de 5,3%, na projeção de setembro, para 5,1% na divulgação de hoje
    • Para 2022, também houve corte: de 2,50% para 2,10%
  • Já a projeção do IPCA, que era de 7,90% para 2021, subiu para 9,70%
    • A expectativa da inflação oficial do próximo ano foi de 3,75% para 4,70%
Kariny Leal

Kariny Leal

Jornalista carioca, formada pela UFRJ, especializada em cobertura econômica e em tempo real, com passagens pela Bloomberg News e Forbes Brasil. Kariny cobre o mercado financeiro e a economia brasileira para a Bloomberg Línea.