PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Negócios

Margens do Walmart revelam pressão apesar de boom de vendas

Varejista demonstra confiança mesmo diante da escassa capacidade de transporte, redução da mão de obra e custos crescentes de combustível

Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — O Walmart superou as expectativas de lucro de Wall Street e elevou novamente seu guidance de projeções, embora tenha sinalizado que os contratempos na cadeia de suprimentos global e o aumento da inflação estão cobrando seu preço.

A margem bruta da empresa, uma medida ampla de lucratividade, caiu ligeiramente no terceiro trimestre, de acordo com uma divulgação de lucros na terça-feira (16). O CEO, Doug McMillon, reconheceu que o Walmart terá que trabalhar duro para mitigar o aumento dos preços e disse: “combater a inflação está em nosso DNA”.

PUBLICIDADE

O tom de McMillon ressaltou a confiança do Walmart enquanto navega pela escassa capacidade de transporte, uma redução da mão de obra e custos crescentes de combustível, que, combinados, estimulam o crescimento mais rápido das últimas três décadas dos preços ao consumidor nos Estados Unidos. Isso aponta para perspectivas otimistas para a crucial temporada de compras de fim de ano, apesar do potencial entrave nos lucros devido ao aumento da inflação.

“As margens estavam um pouco apertadas e serão avaliadas”, disse Simeon Gutman, analista do Morgan Stanley, em nota a clientes. Ainda assim, as vendas “foram fortes e melhores do que o esperado”.

As ações tinham queda de 2,6% para US$ 143,16 perto das 14h (16h em Brasília). Os papéis do Walmart avançaram 1,9% neste ano até segunda-feira (15), o pior em um índice S&P de varejistas de alimentos e alimentos básicos, que subiu 18%. A Target, que divulga os resultados na quarta-feira (17), cresceu 50% no mesmo período.

PUBLICIDADE

Ganhos Comparáveis

Apesar dos desafios, que também incluem surtos persistentes de coronavírus, os clientes não estão intimidados de fazer compras nas lojas. Isso está permitindo que o Walmart ganhe participação de mercado, disse McMillon.

As vendas comparáveis, excluindo combustível nas lojas do Walmart nos EUA, crescerão mais de 6% este ano, afirmou a empresa. Uma previsão acima da anterior, de apenas 5%. O Walmart também aumentou sua projeção de lucros.

O que a Bloomberg Intelligence diz

“O Walmart entra em seu trimestre mais importante com forte impulso, o que é um bom presságio para as festas de fim de ano. O estoque está cerca de 11,5% maior que no ano passado, sinalizando que a empresa está bem preparada para as vendas sazonais. Enquanto isso, a demanda firme e os preços competitivos podem ajudar o Walmart a vender todo esse estoque, reduzindo a necessidade de descontos pós-festas de fim de ano “ - Jennifer Bartashus, analista de varejo

PUBLICIDADE

No terceiro trimestre, as vendas comparáveis aumentaram 9,2% nas lojas do Walmart nos EUA, segundo a empresa, o que superou a média de 7% das estimativas dos analistas compiladas pela Bloomberg. O lucro ajustado de US$ 1,45 por ação também superou as expectativas.

No trimestre, os clientes compraram mais itens e pagaram mais pelos produtos. As transações aumentaram 5,7% e o tíquete médio avançou 3,3%, refletindo as tendências inflacionárias que estão varrendo o setor de consumo.

“Após dois trimestres de crescimento razoável, mas um tanto contido, o Walmart registrou uma recuperação muito saudável nas vendas”, concluiu Neil Saunders, diretor-gerente da GlobalData, em uma nota. Ele disse que o varejista está prestes a se beneficiar da inflação, já que é conhecido por uma estratégia de preços baixos todos os dias. “À medida que os preços sobem, mais americanos recorrem ao Walmart para ajudá-los a economizar dinheiro.”

PUBLICIDADE

Veja mais em bloomberg.com

Leia também

Ibovespa se aproxima da mínima do ano com tombo de Magalu e outras varejistas

Vendas no varejo dos EUA têm maior alta desde março

PUBLICIDADE