PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Brasil

Recepção a Lula por políticos europeus contrastou com a de Bolsonaro no G20

O ex-presidente aparece como líder na corrida eleitoral, segundo pesquisas

Lula
Por Samy Adghirni
15 de Novembro, 2021 | 05:22 pm
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — Líder nas pesquisas para a sucessão presidencial de 2022, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva teve uma recepção calorosa durante sua viagem pela Europa, em contraste com o atual líder do país, Jair Bolsonaro. Poucos dias depois que Bolsonaro apareceu isolado na cúpula do G-20 em Roma, Lula conseguiu garantir uma série de reuniões de alto nível com autoridades europeias.

No domingo, ele se encontrou com o Alto Representante das Relações Exteriores da União Europeia, Josep Borrell, que disse no Twitter que eles tiveram uma “boa troca” de ideias sobre as relações UE-América Latina.

PUBLICIDADE

Na terça-feira, Lula será recebido pela prefeita e candidata à presidência de Paris, Anne Hidalgo. E na semana passada, ele esteve com o próximo chanceler da Alemanha, Olaf Scholz. “Estou muito satisfeito com nossas boas discussões e espero continuar nosso diálogo”, disse o sucessor de Angela Merkel.

Veja mais: Eleições 2022: Lula prepara discurso para mercado

Aos olhos de líderes europeus, os dois líderes brasileiros não poderiam ser mais diferentes. Lula é um ex-líder sindical que governou o país entre 2003 e 2010 com uma plataforma de redistribuição de renda alimentada pela alta dos preços das commodities. Sua força política foi dragada pela investigação sobre corrupção na Petrobras, que o levou à prisão até 2019. O Supremo Tribunal Federal acabou anulando as condenações de Lula, abrindo caminho para ele se candidatar novamente.

PUBLICIDADE

Bolsonaro, por sua vez, é um ex-capitão do exército de extrema-direita, eleito em 2018 com a promessa de combater a corrupção e defender os valores tradicionais da família. Sua Presidência foi criticada por falhas no combate à pandemia do coronavírus (o país registrou 611 mil mortos) e por uma economia em marcha lenta. Ele também é cético em relação às mudanças climáticas.

Veja mais: Lula adota tom conciliador e foco na economia para criticar Bolsonaro

Lula quase não admitiu que concorrerá às eleições presidenciais do ano que vem. “Estou disposto, estou motivado, estou de boa saúde” para ser candidato, disse Lula, segundo a AFP. Mas ele acrescentou que só tomará sua decisão no início de 2022.

Ele venceria o segundo turno contra o Bolsonaro, de acordo com as pesquisas.

(Colaborou Fabiola Moura)

Leia também:

PUBLICIDADE

Por que tantos aviões privados caem no Brasil

Dívida brasileira está ficando mais cara e isso pode afetar percepção de risco

Os faria limers estão voltando aos escritórios com o aluguel mais caro

PUBLICIDADE