PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Negócios

Aplicativo inspirado na Robinhood quer perturbar o mercado da América Latina

Trii, uma empresa de serviços financeiros com sede em Bogotá, que foi lançada em março, permite que investidores individuais comprem e vendam ações de empresas colombianas

Luis Patt, Esteban Peñaloza, Carlos Guayara
Por Oscar Medina
05 de Novembro, 2021 | 03:21 pm
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — Uma startup colombiana está oferecendo negociações de ações de forma fácil e barata em uma tentativa de “democratizar” o acesso aos mercados de ações da América Latina, inspirada na plataforma americana de trading, Robinhood.

Trii, uma empresa de serviços financeiros com sede em Bogotá, que foi lançada em março, permite que investidores individuais comprem e vendam ações de empresas colombianas - e de algumas empresas chilenas e americanas também - por meio de um aplicativo de smartphone, por apenas 11.900 pesos (cerca de US$ 3) por transação. A startup vê uma oportunidade de oferecer uma alternativa às corretoras colombianas tradicionais, cujos clientes são indivíduos com grande patrimônio líquido e cobra taxas de transação de US$ 30 ou mais, contou Carlos Guayara, um dos fundadores da Trii, em uma entrevista.

“A Robinhood revolucionou a indústria de títulos financeiros nos Estados Unidos e percebemos que não tinha ninguém fazendo isso na Colômbia “, disse ele.

A Trii já está de olho na expansão para os países andinos vizinhos , Peru, Chile, Equador e Bolívia, onde as opções de investimento para pessoas físicas também são limitadas, disse Guayara.

PUBLICIDADE

Embora tenha se inspirado na Robinhood, a Trii se diferencia por se concentrar em investidores “buy and hold”, que compram e mantêm os ativos, em vez da negociação de alta frequência, que foram responsáveis pelo sucessp da empresa americana se tornasse popular. No longo prazo, a Trii pretende oferecer empréstimos lastreados nas carteiras dos clientes, disse.

Desde o lançamento, seu aplicativo foi baixado 130.000 vezes. Conta com 75.000 usuários e US$ 13,5 milhões em ativos administrados, o que Guayara disse estar acima de suas expectativas.

“Estamos comprovando nossa hipótese de que os colombianos querem investir na bolsa de valores”, disse.

Guayara disse que a inclusão de investidores individuais trará a liquidez necessária aos mercados de capitais. O índice de referência MSCI Colcap, da Colômbia, caiu 14% este ano em termos de dólares, um dos piores retornos do mundo, de acordo com dados compilados pela Bloomberg. Do valor total da bolsa de valores colombiana, menos de 5% é de propriedade de pessoas físicas.

PUBLICIDADE

Guayara e os sócios, Esteban Penaloza e Luis Patt, criaram o Trii, em parte, durante o período em que passaram pela famosa aceleradora de startups, Y Combinator. A empresa fechou recentemente uma rodada de sementes na qual levantou US$ 4,5 milhões em patrimônio líquido e um adicional de US$ 1 milhão para o negócio de empréstimos, avaliando-o em US$ 40 milhões. Ela é respaldada pela corretora Acciones y Valores, com sede em Bogotá, que lida com serviços de back-office, disse Guayara.

O fundador disse que a Trii vê potencial na bolsa de valores que ainda não atingiu seu potencial pleno, conhecida como MILA, que integra os mercados do Chile, Colômbia, México e Peru. Embora o Brasil e o México sejam mercados interessantes, a competição nesses países já é mais acirrada, acrescentou Guayara.

As startups de serviços financeiros na América Latina levantaram um recorde de US$ 4,2 bilhões até o primeiro semestre de 2021, lideradas por rodadas de arrecadação de fundos de fintechs brasileiras e mexicanas, segundo a CB Insights, que monitora os dados.

Veja mais em Bloomberg.com

Leia também

Quer levar sua empresa para Miami? Você ainda pode receber US$ 150 mil

Por que a ‘Rainha do Airbnb’ foi pega na briga da plataforma com a cidade de NY