promo
Negócios

Tesla atinge marca de US$ 1 trilhão com a popularização dos veículos elétricos

Papel atingiu um recorde de US$ 998,74, o que elevou sua capitalização de mercado, com base em cerca de um bilhão de ações em circulação em 21 de outubro

Tempo de leitura: 4 minutos

Bloomberg — A Tesla se juntou a um grupo de empresas de elite com valores de mercado de pelo menos US$ 1 trilhão nesta segunda-feira (25), um marco importante para a montadora liderada por Elon Musk.

O fabricante do sedã Modelo 3 - o carro elétrico mais vendido em todo o mundo - é agora a segunda empresa a atingir essa marca mais rapidamente, levando pouco mais de 11 anos desde sua oferta pública inicial (IPO, na sigla em inglês) em junho de 2010. O Facebook fez isso mais rápido, embora sua capitalização de mercado esteja agora abaixo de US$ 1 trilhão, com o recuo dos últimos dois meses. Os outros membros listados nos Estados Unidos do clube de trilhões de dólares incluem Apple, Microsoft, Alphabet e Amazon.

As ações da Tesla chegaram a subir até 9,8% hoje (25), o maior movimento intradiário desde 9 de março. A ação atingiu um recorde de US$ 998,74, o que levou sua capitalização de mercado acima de US$ 1 trilhão, com base em cerca de um bilhão de ações em circulação em 21 de outubro.

A inclusão da Tesla ao círculo de nomes de tecnologia de megacap ocorre em um momento em que a indústria automotiva está à beira de uma transformação massiva, com veículos elétricos que deverão substituir os carros movidos a gás em todo o mundo. A empresa e seu carismático e frequentemente controverso co-fundador e CEO Elon Musk são vistos como uma das principais forças motrizes por trás dessa mudança.

A riqueza de Musk também disparou junto com a última alta no preço das ações da empresa. O bilionário cofundador é agora o homem mais rico do mundo, com um patrimônio líquido de cerca de US$ 252 bilhões, confortavelmente à frente dos US$ 193 bilhões do fundador da Amazon, Jeff Bezos, de acordo com o Bloomberg Billionaires Index. Musk também é o maior acionista da Tesla, com uma participação de quase 17%, de acordo com dados da Bloomberg.

As ações da empresa estão em alta nos últimos cinco meses, subindo mais de 75% desde meados de maio. No entanto, a recuperação teve um grande impulso este mês em meio a uma enxurrada de manchetes encorajadoras: fortes ganhos e entregas do terceiro trimestre, um grande pedido da gigante de aluguel de carros Hertz Global e uma notícia de que o Modelo 3 da empresa foi o principal veículo vendido na Europa no mês passado.

“A Tesla é líder em fabricação de veículos elétricos, baterias e autonomia”, escreveu Adam Jonas, analista do Morgan Stanley, em nota nesta segunda-feira (25). “A Tesla também possui um conjunto de tecnologias capacitadoras e outros negócios que permitiriam à empresa ser campeã em automóveis e energia no longo prazo.”

O impulso para eletrificar todos os meios de transporte - especialmente carros, caminhões, ônibus e vans - se intensificou rapidamente neste ano, com os governos prometendo encontrar soluções para a crise das mudanças climáticas. Países em todo o mundo anunciaram políticas para reduzir as emissões de carbono e incentivar as empresas a avançar em direção a tecnologias mais verdes. Todo o ecossistema de veículos elétricos - incluindo fabricantes de automóveis, desenvolvedores de baterias e operadores de rede de recarga - tem aumentado como resultado.

“A perspectiva para a adoção de veículos elétricos está ficando muito mais brilhante, devido a uma combinação de mais suporte de políticas, melhorias adicionais na densidade e custo da bateria, mais infraestrutura de carregamento sendo construída e compromissos crescentes de montadoras”, observou a Bloomberg New Energy Finance em um relatório de setembro. A BNEF estimou que as vendas de veículos elétricos para passageiros aumentarão acentuadamente nos próximos anos, chegando a 14 milhões em 2025, em comparação com 3,1 milhões em 2020.

Valuation

No entanto, alguns dizem que esses números de crescimento brilhantes ainda não justificam totalmente o tamanho gigantesco de Tesla. Sua capitalização de mercado é significativamente maior do que todas as principais montadoras juntas. No entanto, a Tesla ainda fabrica apenas uma fração do número de carros que algumas dessas empresas, como a General Motors, produzem.

“Reconhecemos que a Tesla está executando de forma impecável, mas isso não altera nossa visão. A Tesla está abertamente supervalorizada”, escreveu Craig Irwin, analista da Roth Capital Partners, em uma nota em 21 de outubro, dizendo que o valuation atual da empresa parece se basear na “premissa que as centenas de veículos elétricos com lançamento previsto para 2025 serão todos fracassados.”

A competição está realmente aumentando. Depois de ficar à margem por anos, com a maioria dos carros híbridos ou apenas alguns carros elétricos em sua programação, quase todas as grandes empresas automobilísticas este ano anunciaram planos agressivos para fazer elétricos e desenvolver o ecossistema necessário que inclui baterias e redes de estações de recarga.

Investidores e analistas otimistas, por outro lado, dizem que a Tesla não deve ser comparada de forma alguma a seus pares automotivos. É mais como uma empresa de tecnologia, eles argumentam, e é devidamente avaliada em conformidade.

As ações da Tesla atualmente são negociadas a 172 vezes seus ganhos estimados em 2021, em comparação com 34 vezes para o índice NYSE + FANG, cujos outros nove membros incluem Nvidia, Alphabet, Apple, Twitter, Facebook, Amazon, Netflix, Alibaba Group e Baidu.

Veja mais em Bloomberg.com