promo
Agro

Aviões comerciais ficam ainda mais próximos de voar com etanol

Acordo entre ADM e Gevo vai disponibilizar mais de 12% do biocombustível utilizado pelas aeronaves nos Estados Unidos e na Europa até 2030

Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg Línea — As americanas ADM e Gevo anunciaram hoje um acordo para desenvolverem juntas combustíveis sustentáveis para a aviação civil. O plano é utilizar 3,4 milhões de metros cúbicos (900 milhões de galões) de etanol produzido pela ADM a partir de suas usinas processadoras de milho para chegar a 1,9 milhão de metros cúbicos (500 milhões de galões) do combustível sustentável de aviação (SAF, na sigla em inglês), com a tecnologia da Gevo.

Segundo o comunicado conjunto das empresas, as principais companhias aéreas do mundo, aeroportos, transportadores e o próprio governo dos Estados Unidos já concordaram em trabalhar de forma conjunta para elevar gradativamente o uso de combustíveis mais sustentáveis. A meta americana e europeia é consumir, conjuntamente, cerca de 15 milhões de metros cúbicos (4 bilhões de galões) até 2030, o que colocaria ADM e Gevo como responsáveis por atender 12,5% dessa demanda. A expectativa é que até 2050, a aviação civil consuma mais de 170 milhões de metros cúbicos (45 bilhões de galões) do SAF.

Veja mais: CEO de aérea de baixo custo critica combustível sustentável

Com sede no Colorado, a Gevo desenvolveu uma tecnologia que transforma combustíveis renováveis como o etanol em hidrocarbonetos líquidos de alta densidade energética. A ADM é uma das maiores originadoras de grãos do mundo, desenvolve ingredientes para a indústria de alimentos e produz etanol à base de milho nos Estados Unidos.

Para atender o acordo, a ADM produzirá etanol e isobutanol em suas fábricas instaladas em Columbus, no estado de Nebraska, e Cedar Rapids, em Iowa, bem como em seu complexo de Decatur, em Illinois.

“A conversão potencial de 900 milhões de galões de etanol - mais da metade de nossa capacidade de produção - para atender à crescente demanda por combustível de aviação sustentável representaria um grande passo na evolução contínua de nosso negócio de Carbohydrate Solutions para focar cada vez mais em novas oportunidades, com alto crescimento”, disse em nota o presidente e CEO da ADM, Juan Luciano.

Veja mais: Airbus busca parceria para hidrogênio limpo com Plug Power

Nossa carteira de contratos com clientes potenciais cresceu para mais de 1 bilhão de galões”, disse o CEO da Gevo, Patrick Gruber. “Ao trabalhar com a ADM, que já se comprometeu a reduzir sua pegada de carbono, temos a oportunidade de acelerar a escala. A tecnologia para converter etanol de baixo carbono e isobutanol em SAF pela Gevo está bem desenvolvida e pronta para comercialização em escala mundial”, disse o executivo.

Leia também

Falta de navios para carregar GNL pode agravar crise de energia

Alexandre Inacio

Alexandre Inacio

Jornalista brasileiro, com mais de 20 anos de carreira. Com passagens pela Gazeta Mercantil, Broadcast e Valor Econômico, também atuou como chefe de comunicação de multinacionais, órgãos públicos e como consultor de inteligência de mercado de commodities.