promo
Finanças pessoais

Lucros em alta aumentam demanda por ações de emergentes

Pela 1ª vez em três anos, resultados de empresas de países em desenvolvimento superam previsões de lucro, com ganhos médios 3,6% acima das projeções, de acordo com dados da Bloomberg

Barrio Tijuca, Río de Janeiro
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — Investidores de ações de mercados emergentes finalmente são recompensados com sinais promissores dos lucros corporativos, o que leva ao rali semanal mais longo desde junho.

Pela primeira vez em três anos, os resultados de empresas de países em desenvolvimento superam as previsões de lucro, com ganhos médios 3,6% acima das projeções de analistas, de acordo com dados compilados pela Bloomberg. Isso ajudou o índice MSCI Emerging Markets a registrar a terceira semana de alta. Operadores agora esperam balanços de pesos-pesados do índice esta semana, como Samsung Electronics, China Construction Bank Corp e Sberbank of Russia.

É um momento-chave para ações de mercados emergentes, cujo desempenho tem sido afetado este ano por riscos como pressão regulatória na China e ameaça de estagflação. Na segunda-feira, traders avaliam os riscos de inflação e do surto de Covid-19 na China, enquanto fundos de índice que compram ativos de emergentes registraram entradas na semana passada.

Investidores que acompanham o índice MSCI mal conseguem atingir o ponto de equilíbrio, e o indicador pode fechar o ano com o pior desempenho desde 2018. Ainda assim, uma temporada de balanços fortes pode fazer toda a diferença.

Para Malcolm Dorson, cujo fundo de ações de mercados emergentes superou 94% dos pares nos últimos três meses, as perspectivas para certos setores parecem especialmente boas.

“As taxas de vacinação aumentaram e as economias reabriram, o que deve ser positivo para resultados em consumo”, disse Dorson, gestor da Mirae Asset Global Investments, em Nova York. “As taxas de juros de mercados emergentes subiram e as provisões diminuíram, o que deve ser um fator positivo para os resultados dos bancos. E os preços das commodities dispararam, o que pode ser bom para os balanços em energia e matérias-primas.”

A tensão ainda está concentrada nos resultados de empresas chinesas, que foram especialmente atingidas pelo aperto regulatório do governo e preocupação com a crise de dívida da incorporadora Evergrande. Ações da segunda maior economia do mundo representam cerca de 31% do índice de referência de países em desenvolvimento, tornando seu desempenho crítico para mercados emergentes.

O Goldman Sachs espera que o índice MSCI EM atinja 1.475 pontos nos próximos 12 meses, um salto de 11% em moeda local, em grande parte em linha com os ganhos previstos para mercados desenvolvidos. O banco está focado em ações que irão se beneficiar das tendências de “reflação doméstica” em mercados emergentes fora do norte da Ásia.

“Estamos satisfeitos em ver esses segmentos do mercado acionário com crescimento do lucro por ação muito constante e com o desempenho nos últimos meses, apesar dos obstáculos macro do mercado imobiliário chinês e da política de taxas de juros dos EUA”, disse em relatório Cesar Maasry, estrategista do Goldman.

Veja mais em Bloomberg.com

Leia mais

Quebra do teto de gastos traz pressão por alta maior da Selic

Veterano dos metais aposta em mina de cobre e ouro no Equador