promo
Agro

Fifa quer tirar 1 gigaton de CO2 com projeto ambiental que inclui Brasil

Braço social da entidade máxima do futebol mundial quer usar o agronegócio para tirar da atmosfera o equivalente a dois anos de emissões brasileiras

Tempo de leitura: 1 minuto

São Paulo — Com a aproximação da 26ª Conferência sobre Mudanças Climáticas das Nações Unidas, em Glasgow, no fim de outubro, a Fifa está entrando na onda ambiental.

Veja mais: Título verde do agronegócio vira case do Brasil na COP-26

A ideia é realizar Pagamentos por Serviços Ambientais (PSA) a pequenos e médios agricultores do Brasil, Índia, México e África do Sul na primeira fase do projeto.

Para operacionalizar o projeto, foi firmada uma parceria com a UPL, quinta maior indústria de agroquímicos do mundo, que tem sede na Índia e presença em mais de 138 países.

O anúncio do projeto chamado “The Gigaton Challenge” será feito na tarde de hoje, em São Paulo com a presença do CEO da Fifa Foundation, o ex-jogador da seleção francesa Youri Djorkaeff, do CEO Global da UPL, Jai Shroff, entre outras autoridades nacionais e estrangeiras.

A UPL anunciou em maio uma mudança no comando da empresa no Brasil. Rogério Castro passou a ser o novo CEO das operações nacionais.

A mudança no comando faz parte de um processo de transformação global da companhia, com foco no conceito OpenAg, de inovação aberta, e o constante desenvolvimento de soluções para uma agricultura sustentável, segmento que tem apresentado rápido crescimento no mundo.

Leia também

Bitcoin supera os US$ 57 mil, enquanto traders retomam impulso para recordes

Carrefour mais uma vez esbarra em desafios para consolidação

Alexandre Inacio

Alexandre Inacio

Jornalista brasileiro, com mais de 20 anos de carreira. Com passagens pela Gazeta Mercantil, Broadcast e Valor Econômico, também atuou como chefe de comunicação de multinacionais, órgãos públicos e como consultor de inteligência de mercado de commodities.