PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Negócios

PetroRio aguarda notificação da Petrobras sobre proposta por Albacora

Após confirmar recebimento de duas ofertas bilionárias pelos ativos, estatal terá de submetê-las à diretoria executiva

Campo de Albacora, na Bacia de Campos, a 184 km da cidade de Macaé (RJ), iniciou sua produção nos reservatórios do pós-sal em 1987, com o FPSO PP Morais
07 de Outubro, 2021 | 09:18 am
Tempo de leitura: 2 minutos

São Paulo — A ação da PetroRio acumula valorização de 41,66% em 30 dias e 267,33% em 12 meses. O desempenho é bem acima do Ibovespa, índice de referência do mercado acionário brasileiro, composto por 91 papéis mais negociados do pregão, que tem baixa acumulada de 0,6% em 30 dias e alta de 15% em 12 meses. Um dos gatilhos para a recente disparada de PRIO3, que desde o ano passado é recomendada por alguns analistas como aposta quente para 2021, foi a expectativa de que a petroleira será uma das novas donas dos campos de Albacora, que a Petrobras colocou à venda no Bacia de Campos, bacia sedimentar na costa norte do estado do Rio de Janeiro, estendendo-se até o sul do estado do Espírito Santo.

Veja mais: PetroRio dispara 10% com mais espaço nas carteiras de outubro

Nesta quinta-feira (7), a PetroRio se manifestou sobre isso, dizendo que só pode confirmar que apresentou proposta pelos ativos. Sobre os rumores de que o consórcio do qual faz parte foi escolhido como “preferred bidder” (proponente de melhor oferta) no processo de desinvestimento da Petrobras do campo de Albacora, a petroleira diz que, até o momento, o consórcio não recebeu notificação formal da Petrobras sobre isso.

“A companhia faz parte do processo, como operador do consórcio em que participa, e apresentou proposta vinculante na última etapa do procedimento, mas ainda aguarda a notificação sobre as próximas etapas”, diz a PetroRio, em comunicado.

PUBLICIDADE

Veja mais: Petrobras fracassa em negociação para vender ‘joia da coroa’ das refinarias

Há uma semana, a estatal confirmou que recebeu duas ofertas, que podem superar US$ 4 bilhões para ambos os campos, citando os consórcios PetroRio/Cobra e EIG Global Energies Partners/Enauta/3R Petroleum.

A Petrobras acrescentou estar analisando as duas ofertas, que serão submetidas à deliberação da diretoria executiva da companhia, após a conclusão da análise das propostas.

Otimização de portfólio

PUBLICIDADE

A Petrobras iniciou a divulgação da oportunidade (teaser) referente à venda da totalidade de suas participações nas concessões de Albacora e Albacora Leste, localizadas em águas profundas na Bacia de Campos, em setembro, dizendo que a operação está alinhada à estratégia de otimização de seu portfólio e melhoria de alocação de capital da capital, passando a concentrar cada vez mais os seus recursos em águas profundas e ultra-profundas.

O campo de Albacora possui uma área de 455 km² e está situado na área norte da Bacia de Campos, em lâmina d’água que varia de 100 a 1.050 m, a uma distância de cerca de 110 km do Cabo de São Tomé, no litoral norte do estado do Rio de Janeiro. Em agosto de 2020, Albacora produziu 38,7 mil barris de óleo por dia e 716 mil m3/dia de gás. A Petrobras é operadora do campo com 100% de participação.

O campo de Albacora Leste possui uma área de 511,56 km² e está situado na área norte da Bacia de Campos, em lâmina d’água que varia de 1.000 a 2.150 m, a uma distância de cerca de 120 km do Cabo de São Tomé. Em agosto de 2020, Albacora Leste produziu 33,3 mil barris de óleo por dia e 707 mil m3/dia de gás. A Petrobras é operadora do campo com 90% de participação e os 10% restantes pertencem à Repsol Sinopec Brasil.

Leia também

Decisões políticas vindas da Rússia e dos EUA trazem um respiro aos mercados

Sérgio Ripardo

Sérgio Ripardo

Jornalista brasileiro com mais de 25 anos de experiência, com passagem por sites de alcance nacional como Folha e R7, cobrindo indicadores econômicos, mercado financeiro e companhias abertas.