PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Brasil

Petrobras anuncia reajuste de 8,9% no diesel a partir de amanhã

Estatal disse que os preços ficaram estáveis por 85 dias, já que evitou o repasse imediato para os preços internos devido à volatilidade externa causada por eventos conjunturais

Petrobras diz que o preço do diesel na bomba passará a ser de R$ 2,70 por litro em média, uma variação de R$ 0,22
28 de Setembro, 2021 | 12:25 pm
Tempo de leitura: 2 minutos

São Paulo — A Petrobras anunciou, nesta terça-feira (28), um reajuste de 8,9% no preço médio de venda do diesel A para as distribuidoras, que entra em vigor amanhã (29). O valor passará de R$ 2,81 para R$ 3,06, um reajuste médio de R$ 0,25 por litro.

Considerando a mistura obrigatória de 12% de biodiesel e 88% de diesel A para a composição do diesel comercializado nos postos, a parcela da Petrobras no preço do diesel na bomba passará a ser de R$ 2,70 por litro em média, uma variação de R$ 0,22.

PUBLICIDADE

Veja mais: IPCA avança 0,87% em agosto, puxado por alta dos combustíveis

Em comunicado, a estatal diz que os preços ficaram estáveis por 85 dias. “A empresa evitou o repasse imediato para os preços internos devido à volatilidade externa causada por eventos conjunturais”.

A petroleira afirma que o reajuste “reflete parte da elevação nos patamares internacionais de preços de petróleo e da taxa de câmbio” e que “é importante para garantir que o mercado siga sendo suprido em bases econômicas e sem riscos de desabastecimento pelos diferentes atores responsáveis pelo atendimento às diversas regiões brasileiras: distribuidores, importadores e outros produtores, além da Petrobras”.

PUBLICIDADE

Contexto

Os reajustes dos combustíveis tendem a pressionar os índices inflacionários, uma das razões do atual ciclo de alta dos juros, iniciado em março pelo Banco Central, além de elevar os custos com energia de empresas e famílias.

No mundo político, a disparada dos preços dos combustíveis serve de munição da oposição para desgastar o presidente Jair Bolsonaro, um ano antes da eleição presidencial de 2020.

Veja mais: Curva de juros acelera com inflação puxada por combustíveis

Autoridades do governo federal costumam culpar os governadores pelo patamar elevado dos preços dos combustíveis, argumentando que os estados não abrem mão da arrecadação do ICMS, imposto estadual que incide sobre esses produtos.

As ações PN da Petrobras registravam alta de 0,30%, por volta das 12h00, cotadas a R$ 27,22, enquanto o Ibovespa registrava forte queda de 2,18%, aos 111.106 pontos. Os papéis da estatal já oscilaram entre uma mínima de R$ 26,99 (-0,55%) e uma máxima de R$ 27,89 (+2,76%). Em 12 meses, a cotação máxima da ação foi de R$ 29,97, enquanto a mínima no período está R$ 16,74, alcançada em 2020, após o início da pandemia da Covid-19, em março.

Leia também

Sete fatos para entender o que está acontecendo com a Prevent Senior

Sérgio Ripardo

Sérgio Ripardo

Jornalista brasileiro com mais de 25 anos de experiência, com passagem por sites de alcance nacional como Folha e R7, cobrindo indicadores econômicos, mercado financeiro e companhias abertas.

PUBLICIDADE