Internacional

Uber monitora crise de combustível do Reino Unido com perspectiva de greve

Sindicato da categoria reivindica remuneração por todo o tempo gasto no trabalho, inclusive enfrentando as filas nos postos de combustível

Escassez de combustível causou filas e afetou rendimento de motoristas do aplicativo
Por Jennifer Ryan
27 de Setembro, 2021 | 12:03 pm
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — A Uber já notou que seus motoristas do Reino Unido estão migrando para outros aplicativos de compartilhamento de caronas e entregas, o que levou a mais tempo de espera. Agora os motoristas também estão gastando tempo procurando combustível, prejudicando sua capacidade de atender à demanda por corridas.

“Cada vez mais o dia de trabalho é gasto em busca de combustível”, disse James Farrar, secretário-geral do Sindicato de Motoristas de Aplicativos e Entregadores da Grã-Bretanha (ADCU, na sigla em inglês). Os motoristas não são remunerados por esse tempo e não conseguem aumentar os preços de suas corridas, então a escassez de combustível está corroendo seus ganhos, disse.

O ADCU está planejando uma greve na terça-feira (28) que envolverá “milhares” de motoristas em Londres, Birmingham, Nottingham, Glasgow, Manchester, Bristol, Sheffield e Leeds, segundo Farrar. A ação exige remuneração por todo o tempo que os motoristas passam trabalhando, um aumento nas tarifas por quilômetro e o fim do que afirmam ser dispensas com remuneração pela perda de salário durante a suspensão de motoristas.

Um porta-voz da Uber afirmou que a empresa não vê impacto direto devido à escassez de combustível, mas monitora a situação de perto.

PUBLICIDADE

Tradução: Olá. Acabei de falar com um motorista da Uber que me explicou tudo. Ele disse que houve uma corrida por combustível de manhã e todos ficaram presos nos postos, portanto, menos motoristas nas ruas. Este é o motivo do aumento! Obrigado.

Veja mais: Uber estuda contribuir para Previdência mesmo sem vínculo com motorista no México

O Governo do Reino Unido considera acionar o exército para tentar apaziguar a escassez pelo país, que forçou muitos varejistas do setor a fechar as bombas após alguns dias de compras por pânico. Em algumas partes da Grã-Bretanha, era possível ver longas filas de carros em postos de gasolina no início da manhã.

A Uber tem até 2030 para mudar totalmente para veículos elétricos na Europa e na América do Norte. A empresa enfrenta obstáculos para atingir a meta, considerando que o custo de um veículo elétrico pode estar fora da realidade de seus motoristas.

PUBLICIDADE

Tradução: Motorista da Bolt passou informações sobre escassez na Uber a mim. A escassez de combustível não deve afetá-lo pois seu carro é elétrico e eu fui sua primeira passageira no novo veículo.

Veja mais em bloomberg.com

Leia também

Vale lidera pregão com minério de ferro de volta aos US$ 120


PUBLICIDADE