PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Viagens

Maior evento presencial pós-Covid reinventa emirado; Como é visitar Dubai hoje?

Empresários estão de volta, muitos restaurantes precisam ser reservados com antecedência e carros esportivos de luxo lotam as entradas dos hotéis cinco estrelas

¿Cómo es visitar Dubái ahora?
Por Abeer Abu Omar and Ben Bartenstein
26 de Setembro, 2021 | 04:32 pm
Tempo de leitura: 6 minutos

Bloomberg — A agitação em torno da hora do almoço no centro financeiro de Dubai descreve uma imagem clara de como a cidade está lidando com a pandemia do coronavírus: os empresários estão de volta trabalhando a todo o vapor, muitos restaurantes precisam ser reservados com antecedência e carros esportivos de luxo lotam as entradas dos hotéis cinco estrelas. O clima hoje é muito distante da visão de estacionamentos vazios e espaços de escritórios desertos do ano passado.

Se existe normalidade semelhante aos tempos pré-pandêmicos no mundo em 2021, Dubai está ansiosa para exibi-la por lá. O turismo internacional foi retomado há mais de um ano, e a cidade tem regras relativamente brandas para combater a disseminação da Covid-19. Isso se deve ao fato de os Emirados Árabes Unidos, do qual Dubai faz parte, ser uma das nações mais vacinadas do mundo. De acordo com o Vaccine Tracker da Bloomberg, cerca de 75% da população adulta está totalmente vacinada.

PUBLICIDADE

Agora, o emirado está abrindo as portas para milhões de visitantes para a Expo Mundial, que acontecerá nos arredores da cidade de 1º de outubro a 31 de março. A mostra foi atrasada um ano por conta da pandemia; Dubai prevê atrair 25 milhões de visitantes, tanto virtualmente quanto pessoalmente.

O número é menos surpreendente considerando a escala da Expo. O local tem o tamanho de 600 estádios de futebol, repletos de espetáculos arquitetônicos de cerca de 190 países. O pavilhão dos emirados foi projetada por Santiago Calatrava e terá a forma de um falcão em vôo; já o canadense tem um anel feito de treliça de madeira com um “teatro de 360 graus” em seu centro; e a Holanda construiu uma fazenda vertical em forma de cone.

Para evitar ser visto como um evento disseminador de covid, os visitantes serão obrigados a aderir a regras semelhantes que se aplicam ao entrar no país: eles podem mostrar cartões de vacina ou testes de PCR negativos feitos em 72 horas. (Ao cruzar a fronteira, a pessoa vacinada também deve apresentar um resultado negativo, e disposições mais rígidas se aplicam aos que vêm de certos países, incluindo testes que são válidos apenas por 48 horas e uma exigência de quarentena até um segundo teste, feito no aeroporto).

PUBLICIDADE

A esperança é que Dubai possa manter seu bom histórico - todos os Emirados Árabes Unidos estão registrando atualmente menos de 500 novas infecções por dia - mesmo que as multidões da Expo sejam tão astronômicas quanto a cidade espera. Afinal de contas, o show é apenas uma das maneiras pelas quais Dubai está dobrando o turismo. Suas medidas de saúde pública menos restritivas e a baixa contagem de casos também estão atraindo viajantes de negócios, participantes de convenções e turistas em férias. Depois de registrar quase 17 milhões de chegadas internacionais em 2019, Dubai espera que 27 milhões de pessoas passem pela cidade em 2021 - uma meta que ainda está longe de ser alcançada, com cerca de 3 milhões de visitantes nos primeiros sete meses do ano - e mais de 50 milhões em 2022.

Cena gastronômica

Shoppings e restaurantes retomam forte movimento em Dubaidfd

A cena gastronômica de Dubai se manteve muito bem durante a pandemia. Apesar de um lockdown 24 horas por dia, sete dias por semana, em abril de 2020, os pontos culinários da cidade mantiveram em grande parte suas portas abertas, embora com distanciamento social e exigência de máscara. Muitos restaurantes sofisticados também entraram no business de delivery, oferecendo aos visitantes refeições com oito pratos por meio de motocicleta.

Hoje em dia, os cartões de vacina são exigidos apenas se você estiver sentado em um bar, e o governo limitou as mesas dos restaurantes a grupos de 10 pessoas. Autoridades locais são conhecidas por impor pesadas multas a estabelecimentos que violam as regras, então a fiscalização tem sido confiável em todos os lugares.

Essas regras, no entanto, estão sujeitas a mudanças periódicas. As atualizações mais recentes permitem que restaurantes e cafés abram até 3h da madrugada - horário em que geralmente fechavam antes do coronavírus - e reduzam o requisito de distância social de 2 metros para 1,5 metro.

À medida que Dubai emerge de seus meses úmidos de verão, preciosidades à beira-mar, como a de Nick & Scott e Tasca, estão se tornando cada vez mais agradáveis. Este último teve a primeira colocação internacional com uma estrela Michelin para o chef Jose Avillez. O local tem assentos ao redor da piscina arejada do hotel Mandarin Oriental no sexto andar, vista para o Burj Khalifa e um menu de tapas portuguesas maravilhosamente preparadas (pegue o ceviche de camarão, servido no interior de conhas ocas). Amazonico, no luxuoso centro financeiro de Dubai, oferece um terraço externo de vários níveis que lembra uma selva - um cenário adequado para pratos como os que se inspiram na Amazônia peruana e na culinária japonesa (pense em Hamachi tiradito com maracujá).

Um novo motivo para se aventurar em ambientes fechados: Puerto 99, um restaurante mexicano alegre na mais nova ilha artificial de Dubai, Bluewaters. É uma batalha perdita evitar não dançar junto com as apresentações de Mariachi.

PUBLICIDADE

A cultura retorna a Dubai

Vista do Burj Khalifa no skyline de Dubaidfd

O turismo está tendo um grande recomeço em Dubai, o que se traduz em uma série de opções após o período de cautela da Covid.

  • Se você ainda está preocupado com a Covid: um passeio pelo bairro residencial de Karama permite que os visitantes tenham a chance de ver a fusão do antigo e do novo Dubai, com ruas com murais e cafés antigos. À noite, um passeio ao longo do Canal Boardwalk de Business Bay até Jumeirah oferece vistas deslumbrantes do horizonte da cidade com significativamente menos tráfego de pedestres do que Downtown Dubai. Muitas empresas de turismo oferecem cruzeiros noturnos e passeios no deserto - duas maneiras mais relaxantes de aproveitar as atrações ao redor sem nunca pisar em locais internos.
  • Se você precisa de uma reentrada suave: o bairro histórico de Al Fahidi oferece aos novatos um gostinho da velha Dubai; suas vielas mostram a arquitetura de pedra e madeira que existia aqui muito antes dos arranha-céus tomarem conta. Tanto em souks em todo o distrito quanto em mercados em Dubai Creek, os visitantes podem pechinchar por ouro, especiarias e tapetes - espere uma mistura de lojas e barracas ao ar livre e evite a correria do meio-dia se estiver atento à multidão.
  • O ambiente é decididamente mais moderno ao longo da Avenida Alserkal - o lugar ideal para galerias de arte e cafés da moda. Você pode passar a maior parte do dia explorando este local fervilhante de cultura contemporânea, com paradas no Cinema Akil para exibições de filmes independentes ao ar livre e no A4 Space, uma loja conceito voltada para a sustentabilidade e ponto de encontro da comunidade.
  • Se você quiser fingir que a pandemia nunca aconteceu: Bla Bla, o espaçoso clube de praia no Jumeirah Beach Residence em Dubai, tem atraído centenas (e às vezes até milhares) para suas festas de fim de semana, com salas temáticas, DJs e bandas ao vivo. As máscaras estão virtualmente fora de vista aqui, embora a equipe fique de olho nas danças barulhentas.
  • E, claro, há a Expo Dubai, um projeto de bilhões de dólares que literalmente visa “unir o mundo”. O dia da inauguração, em 1º de outubro, se tornará um dos maiores eventos presenciais desde o início da pandemia, com curiosos se reunindo em centenas de pavilhões representando os temas de sustentabilidade, mobilidade e oportunidade. Promete ser um espetáculo. O pavilhão egípcio terá estátuas antigas originais de faraó, enquanto o “distrito da mobilidade” permitirá que os visitantes experimentem veículos autônomos e vejam no que os engenheiros de aviação estão trabalhando para a próxima geração de aviões.

Como se movimentar

Durante a maior parte do ano, Dubai não é uma cidade para caminhar, graças às temperaturas que chegam a 49 graus Celsius (120 graus Fahrenheit).

Mas, seja um ônibus, táxi, metrô ou seu carro, o governo garante que os passageiros e motoristas sigam regras rígidas. Táxis e serviços de recepção exigem que todos em um veículo usem uma máscara - e no máximo três pessoas são permitidas por viagem.

PUBLICIDADE

As barreiras do tipo plexiglass, antes comuns nos táxis, quase desapareceram; a maioria dos veículos agora segue um mandato simples de máscara. Os produtos higienizantes também estão presentes em todos os veículos de transporte público.

No metrô, os negócios funcionam como de costume - no mínimo, estão crescendo, já que o serviço se estenderá até os arredores da cidade em 1º de outubro, para ajudar os visitantes a chegarem ao local da Expo. Chegar lá da estação de Dubai Marina leva cerca de 15 minutos.

Baixe o aplicativo da Autoridade de Estradas e Transporte (RTA) de Dubai se você planeja pegar o metrô. Ele permite que você adicione dinheiro aos cartões que você usa em cada estação, minimizando os pontos de contato ao longo do caminho.

Etiqueta da pandemia

Na fronteira, emirado oferece testes para certificar os visitantesdfd

Use uma máscara. Pela cidade, você encontrará todo mundo usando uma em todos os espaços públicos internos e externos, incluindo shoppings, hotéis e restaurantes. (Há exceções para comer, beber e fazer exercícios ao ar livre.) Multas por não seguir a regra de uso da máscara podem chegar a milhares de dólares - e para evitar confusão, locais públicos são obrigados a fornecer sinais mostrando onde você precisa usar sua máscara .

PUBLICIDADE

Quase dois anos após o início da pandemia, as pessoas optam por se cumprimentar com os punhos ou verbalmente. Todos podem concordar que o contato humano em Dubai, por enquanto, provavelmente é coisa do passado.

Para entrar em contato com os autores desta história: Abeer Abu Omar em Dubai em aabuomar@bloomberg.net e Ben Bartenstein em Dubai em bbartenstei3@bloomberg.net

Veja mais em Bloomberg.com

Leia também

PUBLICIDADE

Após a pandemia, um tour pelas vinícolas: como é visitar Mendoza hoje?

Colômbia negocia projeto para atrair mais turistas brasileiros na retomada

Companhias aéreas têm novo impulso com flexibilização de regra de viagem


PUBLICIDADE