PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Tech

500 Startups lança fundo de US$ 17 milhões com foco na América Latina de língua espanhola

Com o lançamento do Luchadores III, a 500 Startups pretende focar em empresas em estágio inicial e oferecer possíveis investimentos subsequentes

Tempo de leitura: 2 minutos

Miami — Hoje, a 500 Startups, aceleradora e empresa de capital de risco de renome mundial, anunciou o lançamento do 500 Luchadores III, um fundo latino-americano de US$ 17 milhões no qual a empresa planeja investir em 130 empresas em estágio inicial nos próximos dois anos e meio.

“Nossa tese é investir muito cedo, e somos agnósticos em relação à indústria”, disse Santiago Zavala, sócio da 500 Startups.

PUBLICIDADE

A empresa planeja focar o fundo na América Latina de língua espanhola, uma vez que já possui outros fundos dedicados ao Brasil.

Os fundos Luchadores anteriores eram menores em valor e não incluíam nenhuma capacidade de investimento subsequente, mas com o Luchadores III a empresa estabeleceu uma abordagem em três etapas.

“Agora acrescentamos uma estratégia de investimento subsequente. Isso está relacionado ao volume do ecossistema e indica que o modelo está funcionando”, disse Zavala à Bloomberg Línea.

PUBLICIDADE

O primeiro cheque terá valor entre US$ 50 mil e US$ 100 mil, com possíveis investimentos subsequentes do mesmo fundo variando entre US$ 250 mil e US$ 500 mil, e, então, um possível investimento do fundo global, que financiaria entre US$ 3 e US$ 5 milhões.

Veja mais: Chilena Zippedi levanta US$ 6,9 milhões para digitalizar supermercados do país

O fundo já investiu em 44 empresas até agora, e Zavala disse que há um foco maior em startups de saúde mental, que floresceram durante a pandemia, à medida que mais e mais pessoas passaram por ansiedade e depressão.

PUBLICIDADE

Uma dessas empresas é a YANA (do inglês “you are not alone”, que significa “você não está sozinho”), do México, que já conta com cerca de 5 milhões de usuários. O aplicativo chatbot da empresa foi lançado em 2019 e chamou a atenção quando a Apple e o Google o nomearam como um dos principais aplicativos de 2020.

Outra startup é a Terapify, que oferece terapia online e também está sediada no México; e, por fim, há a Pura Mente, da Argentina, que oferece sessões de meditação e mindfulness por meio de um aplicativo.

A 500 Startups veio para a América Latina em 2011 e, em 2013, já havia estabelecido seu primeiro fundo Luchadores. Em 2016, lançou seu segundo.

PUBLICIDADE

“A América Latina faz parte de nossa estratégia global há quase uma década, e este terceiro fundo é um sinal de nosso compromisso contínuo com a região em um momento em que ela está atraindo cada vez mais o interesse de investidores internacionais”, disse Christine Tsai, CEO e sócia fundadora da 500 Startups.

Leia também:

Como a WeWork está se adaptando ao aumento do interesse no trabalho híbrido

PUBLICIDADE

Morada Uno, startup Mexicana de proptech da YC, levanta US$ 2 milhões

Uber estuda contribuir para Previdência mesmo sem vínculo com motorista no México


Marcella McCarthy

Marcella McCarthy (Brasil)

Jornalista americana/brasileira especializada em tech e startups com mestrado em jornalismo pela Medill School na Northwestern University. Cobriu America Latina, Healthtech e Miami para o TechCrunch e foi fundadora e CEO de um startup Americano na área de EdTech. Baseada em Miami.

PUBLICIDADE