Negócios

3R Petroleum pede registro para captar R$ 1,6 bi com debêntures para pagar dívida e aquisições

Terceira maior produtora de petróleo e gás terrestre do Brasil, atrás apenas da Petrobras e Eneva, planeja usar os recursos para pagar outra emissão, reforçar caixa e financiar aquisições

Refinaria potiguar Clara Camarão; 3R Petroleum fez oferta pelo ativo da Petrobras; unidade atende os mercados do Rio Grande do Norte e do sul do Ceará
28 de Agosto, 2021 | 02:33 pm
Tempo de leitura: 2 minutos

São Paulo — A 3R Petroleum, terceira maior produtora de petróleo e gás terrestre do Brasil (atrás apenas da Petrobras e da Eneva), submeteu, ontem, à CVM (Comissão de Valores Mobiliários) pedido de registro para uma oferta púbica de distribuição de debêntures no valor de R$ 1,6 bilhão.

Veja mais: Petrobras fecha semana com venda de ativos, pagamento de dividendo e incertezas sobre refinarias

As debêntures, que terão somente em sua primeira série incentivo tributário concedido a papéis atrelados a empreendimentos de infraestrutura, serão objeto de distribuição pública nos termos Instrução CVM 400 (destinada ao público em geral).

A companhia fluminense, listada no Novo Mercado da B3 em novembro do ano passado, informou que a operação envolverá três séries de debêntures simples, não conversíveis em ações, com garantia real e garantia adicional fidejussória.

PUBLICIDADE

Veja mais: Petróleo cai após três dias de alta devido a medo da persistência do vírus

Os recursos captados serão usados para pré-pagamento de dívida existente , reforço de caixa e para financiar aquisições. Em junho, a empresa contratou como coordenadores da captação o Itaú BBA (líder), BTG Pactual e XP.

Papa-Terra e Sanhaçu

Neste ano, a companhia avançou no plano de aquisições. Ontem, a Petrobras divulgou que a 3R Petroleum apresentou a melhor proposta (US$ 1 bilhão) pelo Polo Potiguar, um conjunto de 26 concessões de campos de produção terrestres e de águas rasas, incluindo a refinaria Clara Camarão e o Terminal de Guamaré, ambos no Rio Grande do Norte.

PUBLICIDADE

As duas petroleiras entraram em fase de negociação. “A 3R reforça que a potencial aquisição do Polo Potiguar está alinhada à estratégia de geração de valor aos seus investidores, por meio de aquisições de campos maduros que apresentem potencial de incremento de produção e reservas, bem como sinergias com o portfólio atual da companhia”, informou a 3R.

No começo do mês, a 3R Petroleum, através de sua subsidiária 3R Macau, também celebrou contrato de aquisição da participação detida pela Petrogal Brasil (Galp) no campo de Sanhaçu, na Bacia Potiguar, no Rio Grande do Norte, por US$ 6 milhões. Desse total, US$ 1,3 milhão já foi pago em 18 de agosto; US$ 1,9 milhão será pago na data de fechamento da transação; e duas parcelas de US$ 1,4 milhão serão pagas em 6 e 12 meses, contados do fechamento da transação, respectivamente.

Em julho, a controlada 3R Offshore assinou contrato para compra da participação da Petrobras (62,5%) no campo de Papa-Terra, na Bacia de Campos (RJ), por US$ 105,6 milhões. A Chevron detém os 37,5% restantes.

O negócio marca o início das operações da companhia em águas profundas, diversificando seu portfólio com ativos maduros onshore (terrestres) e offshore e aumentando sua produção e capacidade de reposição e incremento de reservas.

Leia também

Mercado de ações pesa diferentes riscos após temporada recorde de lucros

Sérgio Ripardo

Sérgio Ripardo

Jornalista brasileiro com mais de 25 anos de experiência, com passagem por sites de alcance nacional como Folha e R7, cobrindo indicadores econômicos, mercado financeiro e companhias abertas.

PUBLICIDADE