Mercados

Sem registro de IPO, Havan fica impedida de abrir capital na Bolsa

A companhia, que ainda não divulgou o resultado financeiro do primeiro nem do segundo trimestre, teve pedido indeferido pela autarquia

Havan tem pedido negado na CVM novamente
23 de Agosto, 2021 | 06:19 pm
Tempo de leitura: 1 minuto

São Paulo — A varejista de Santa Catarina Havan não vai mais abrir capital na B3, pois a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) indeferiu (negou) o pedido pela segunda vez.

A autarquia federal não concedeu o registro de companhia aberta na categoria A, que permite lançar uma oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês).

O processo de pedido do registro do IPO foi aberto no último dia 12 de maio. Na última sexta-feira (20), a CVM decidiu pelo indeferimento do pedido.

Veja mais: Confira 10 IPOs para ficar de olho até o fim do ano

PUBLICIDADE

Foi a segunda vez que a Havan, famosa pela militância política do seu dono, Luciano Hang, apoiador do presidente Jair Bolsonaro, não conseguiu registro. No dia 26 de outubro do ano passado, outro processo também resultou em indeferimento.

A CVM ainda não informou detalhes da decisão. Esse tipo de registro é regulamentado pela Lei nº 6.385 e pela Instrução CVM nº 480. O descumprimento de prazos fixados nessas regras é um dos cenários possíveis para o indeferimento automático dos pedidos. A Havan ainda não divulgou o resultado financeiro do primeiro nem do segundo trimestre deste ano (o prazo terminou no último dia 15), indicando a desistência do plano de estrear na B3.

Após a divulgação deste texto, a Havan emitiu a seguinte nota

“A Havan S.A., pela presente, informa ao mercado em geral que voluntariamente, em 19 de agosto de 2021, solicitou a desistência do pedido de registro de emissor de valores mobiliários –categoria “A”, perante a Comissão de Valores Mobiliários (“CVM”) requerido em 12 de maio de 2021, em decorrência do atual planejamento estratégico da Companhia.

PUBLICIDADE

Adicionalmente, pelas mesmas razões, e como consequência da desistência mencionada acima, a Companhia, nos termos do item 4.14 do Regulamento para Listagem de Emissores e Admissão à Negociação de Valores Mobiliários da B3, decidiu por não prosseguir com o pedido de admissão e listagem no segmento do Novo Mercado da B3.

Assim, a Companhia, por ora, adia a intenção de realizar sua Oferta Pública Inicial, que será retomada em momento oportuno e devidamente informada ao mercado”.


Leia também

Enjoei encolhe mais de R$ 740 mi desde IPO

Sete de doze ações de ‘tech’ valem menos que no IPO

Lupo avança no plano de abertura de capital

Sérgio Ripardo

Sérgio Ripardo

Jornalista brasileiro com mais de 25 anos de experiência, com passagem por sites de alcance nacional como Folha e R7, cobrindo indicadores econômicos, mercado financeiro e companhias abertas.

PUBLICIDADE