promo
Mercados

O principal do dia: futuros americanos e Ásia em queda; aqui temor com fiscal persiste

BREAKFAST: Hong Kong pode ter entrado no ‘bear market’, Bitcoin embica pra cima e a sugestão do presidente Bolsonaro para baixar o preço do gás de cozinha

Tempo de leitura: <1 minuto

São Paulo - Na sexta-feira (20) deve prevalecer um ambiente de volatilidade nos mercados, fechando a semana. No Brasil, o noticiário de Brasília continua a trazer apreensão sobre a situação das contas. Fatores como alta dos juros futuros e do risco-país e a desvalorização do câmbio devem persistir na Bolsa, que acumula perdas na casa de 3% durante a semana.

Nesta manhã, os futuros de Wall Street operavam em queda. As bolsas asiáticas fecharam em queda, com destaque para o que parece ser um bear market em Hong Kong, a baixa mais acentuada (-1,84%), em meio a incertezas sobre o crescimento da China e riscos regulatórios no país, especialmente sobre o setor de tecnologia.

  • Futuros americanos em queda, com Dow Jones (-0,45%), S&P 500 (-0,45%) e Nasdaq (-0,45%).
  • Bolsas asiáticas fecharam em queda: Tóquio/Nikkei 225 (-0,98%), Hong Kong/Hang Seng (-1,84%) e Xangai (-1,10%).
  • Por aqui, Ibovespa fechou em alta ontem, com 117.164 pontos (+0,45%) com uma sessão bastante volátil.
  • Dólar fechou cotado a R$ 5,415 (+0,50%).
  • Bitcoin valendo US$ 47.156 (+1,22%), agora pela manhã.

Direto de Brasília (e outros lugares)

  • Na live de ontem, o presidente Jair Bolsonaro sugeriu que Estados cortassem o ICMS sobre o gás de cozinha e que pessoas se reunissem para comprar o insumo essencial diretamente das distribuidoras, “sem lucro”. Segundo ele, se tudo isso acontecer, o preço do botijão, hoje na casa de R$ 100, voltaria para os R$ 60.
  • Por ordem de Alexandre de Moraes (STF), Polícia Federal cumpriu na manhã desta sexta mandados de busca e apreensão em endereços do cantor Sérgio Reis e do deputado Otoni de Paula (PSC-RJ). Medidas foram solicitadas pela Procuradoria-Geral da República e, segundo a PF, objetivo é apurar a incitação, por meio de redes sociais, à prática de atos violentos contra o Estado de Direito.
  • Brasil registrou 36.315 novos casos de Covid-19 e 979 mortes em 24 horas, segundo o Ministério da Saúde.

Preparamos esse vídeo para explicar o que são precatórios e como estas dívidas se transformaram em uma bomba fiscal no Orçamento Geral da União do ano que vem.

Manchetes dos jornais

  • Condições financeiras pioram e afetam o ritmo da economia (Valor)
  • Crise e gastos preocupam investidor e afetam mercados (Folha de S.Paulo)
  • Senado destrava recondução de Aras; aprovação de nome para o STF é incerta (O Globo)
  • Ganho de canais radicais podem chegar a R$ 15 milhões ao ano (O Estado de S.Paulo)
  • President Biden Will Speak Friday on Troubled Evacuation Effort (New York Times)
  • Protests in Afghanistan Widen as US Works to Ease Exits (Wall Street Journal)
  • Chaos Persists At Kabul Airport, Imperiling Afghanistan Evacuation Effort (Washington Post)

Na Bloomberg Línea

Agenda do dia

  • Não há balanços de companhias programados para esta sexta.
  • Dados da arrecadação da UnIão podem sair hoje.
  • Paulo Guedes faz (Fazenda) duas aparições públicas nesta sexta. Às 11h, participa da sessão temática do Senado sobre “A Reforma Tributária do Consumo sob a perspectiva dos entes federativos” e, às 16h, concede entrevista ao vivo no YouTube para o programa Conversa com José Márcio Camargo, economista-chefe da Genial Investimentos
  • Roberto Campos Neto (BC) reúne-se às 11h, por videoconferência, com representantes da Mambu Brazil, em São Paulo, e, às 14h, com representantes da Associação Brasileira de Bancos (ABBC), em São Paulo. Os dois eventos são fechados à imprensa.

Bloomberg Línea

Graciliano Rocha

Graciliano Rocha

Editor da Bloomberg Línea no Brasil. Jornalista formado pela UFMS. Foi correspondente internacional (2012-2015), cobriu Operação Lava Jato e foi um dos vencedores do Prêmio Petrobras de Jornalismo em 2018. É autor do livro "Irmã Dulce, a Santa dos Pobres" (Planeta), que figurou nas principais listas de best-sellers em 2019.