Mercados

Dólar aprofunda baixa e juros curtos têm alta no ‘day-after’ do Copom

Economistas ainda têm dúvidas sobre a extensão do atual ciclo de ajuste na Selic

Economistas discutem extensão do atual ciclo de aumento de juros
05 de Agosto, 2021 | 10:53 am
Tempo de leitura: <1 minuto

São Paulo — O dólar mantém trajetória firme de baixa e as taxas de juros de curto e médio prazos sobem no dia seguinte à decisão do Banco Central, que levou a taxa Selic de 4,25% para 5,25% ao ano e contratou um novo aumento da mesma magnitude para setembro.

No day-after do Copom (Comitê de Política Monetária), os ajustes nas taxas são moderados, com os economistas ainda em dúvida sobre a extensão do atual ciclo de ajuste nos juros. Alguns veem a Selic pouco acima de 7% em dezembro, enquanto outros temem a resistência da inflação e acreditam que a taxa possa ficar fora deste patamar se o BC tiver que manter aumentos de juros em ritmo elevado no restante do ano.

  • Câmbio: dólar recuava mais de 1,12% para R$ 5,1117 pouco antes das 11h (horário de Brasília).
  • Taxas curtas e médias: Os juros para janeiro de 2022, foco atual do chamado horizonte relevante da política monetária do BC, subiam de 6,345% para 6,400%; as taxas para janeiro de 2023, passavam de 7,875% para 8,84%; e as para janeiro de 2025, subiam de 8,78% para 8,84%.
  • Taxas mais longas: Os juros para janeiro de 2027 têm alta mais comedida, passando de 9,10% para 9,13%, também pressionados pelas dúvidas em relação ao ajuste fiscal.

VEJA TAMBÉM: Economistas veem BC mais duro para segurar expectativa de inflação


Toni Sciarretta

Toni Sciarretta

News director da Bloomberg Línea no Brasil. Jornalista com mais de 20 anos de experiência na cobertura diária de finanças, mercados e empresas abertas. Trabalhou no Valor Econômico e na Folha de S.Paulo. Foi bolsista do programa de jornalismo da Universidade de Michigan.

PUBLICIDADE