Mercados

Ibovespa cai com NY e dólar oscila acompanhando riscos fiscais, Selic

Aversão ao risco domina mercados no Brasil em dia de decisão do Copom

Mercado aguarda decisão do Copom hoje à noite
04 de Agosto, 2021 | 04:19 pm
Tempo de leitura: 1 minuto

São Paulo — O Ibovespa operava em queda desde a abertura, enquanto o dólar oscilava na tarde desta quarta-feira (04), com investidores acompanhando o desempenho negativo das bolsas americanas, os riscos relacionados ao cenário fiscal e a expectativa com a reunião do Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom) desta noite.

O principal índice acionário brasileiro era pressionado pela queda dos papéis da Petrobras (PETR3), cujo balanço será divulgado após o fechamento do mercado de hoje, e do Bradesco (BBDC4), divulgado na noite de ontem. O movimento também segue as principais bolsas de Nova York, que apesar de oscilarem, operam com viés de queda, após dados de emprego abaixo do esperado nos EUA, assim como balanços abaixo das expectativas, como da montadora GM. O avanço da variante delta do coronavírus no mundo também pesa negativamente.

No câmbio, os novos temores sobre a situação fiscal do país dominam, após o presidente Jair Bolsonaro prometer reajustes no Bolsa Família, em valor que poderia chegar a R$ 400. No início da tarde, a moeda atingiu a máxima intradiária com a declaração do presidente, que também prometeu auxílio para compra de botijão de gás.

Na curva de juros, as atenções se voltam para o Copom, com a divulgação, às 18h, da decisão da taxa básica de juros (Selic), que deve chegar a 5,25%, o maior aumento desde 2003.

PUBLICIDADE
  • Câmbio: Perto das 16h15, o dólar operava em queda de 0,31%, a R$5,18
  • Bolsa: O Ibovespa caía 1,16%, a 122.137 pontos. Lideravam as perdas percentuais as ações da Cosan (CSAN3), Bradesco (BBDC4) e Petrobras (PETR3). Usiminas (USIM5), Klabin (KLBN11) e Suzano (SUZB3) eram destaques positivos
  • Destaques da bolsa: O Bradesco reportou um lucro recorrente de R$ 6,32 bilhões no segundo trimestre de 2021. Trata-se de um aumento de 63% em relação ao mesmo período do ano passado, quando a pandemia atingiu em cheio a atividade econômica do país, mas que está R$ 100 milhões abaixo da estimativa dos analistas ouvidos pela Bloomberg (entre R$ 6,42 e 6,78 bilhões)
  • Juros: As taxas dos DIs operavam com tendência de alta, com foco no Copom
  • Exterior: Em Nova York, o Dow Jones caía 0,71% e o S&P500 0,24%. O Nasdaq sobe 0,29%
  • Nas últimas horas:





Igor Sodré

Igor Sodré

Jornalista com formação pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo, com experiência na cobertura de cultura e economia, tendo como foco mercado financeiro e companhias. Passou pela Bloomberg News e TradersClub.

PUBLICIDADE