Mercados

Principal do dia: exterior recua com investidores digerindo balanços; desemprego no Brasil no radar

No BREAKFAST: Bolsonaro não apresentou provas de fraude, avanço da vacinação, os balanços desta sexta-feira.

Mercados no exterior caem, mas julho deve ser forte para EUA e Europa
30 de Julho, 2021 | 08:46 am
Tempo de leitura: 2 minutos

São Paulo — O tom negativo que predomina nos mercados no exterior nesta sexta-feira (30) não deve ser suficiente para reverter os fortes ganhos nas bolsas americanas e europeias em julho, no último dia de negociações do mês. Os resultados abaixo do esperado da Amazon para o segundo trimestre levavam a ação a cair perto de 6%, enquanto investidores digerem mais uma semana de balanços mistos nos EUA. Por aqui, o destaque do dia é a divulgação, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), da taxa de desemprego de maio, às 9h. Ontem, o Caged registrou 309 mil vagas com carteira assinada em junho, acima da expectativas.

  • Futuros americanos sobem, com Dow Jones (-0,26%), S&P 500 (-0,62%) e Nasdaq (-1,05%).
  • Tóquio/Nikkei 225 (-1,8%), Hong Kong/Hang Seng (-1,35%) e Xangai (-0,42%).
  • No Brasil, bolsa e dólar fecharam o dia em queda, com os investidores avaliando os balanços divulgados entre a noite anterior e a manhã de quinta-feira. A notícia do fim das restrições no comércio na cidade de São Paulo nas próximas semanas chegou a impulsionar papéis de shoppings e eventos, mas sem força suficiente para reverter a tendência negativa do índice.

Direto de Brasília (e outros lugares)

  • O presidente Jair Bolsonaro realizou uma live ontem à noite (retransmitida pela estatal TV Brasil) em que falou das supostas provas que as eleições de 2014 e 2018 teriam sido fraudadas. O presidente apresentou relatos que já haviam sido desmentidos como fake news no passado e admitiu “não ter como comprovar se eleições foram fraudadas ou não”. E atacou o TSE e o ministro Luis Roberto Barroso, que preside a corte eleitoral.
  • A novidade também foi que o TSE respondeu publicando, no Twitter, informações que desmentiam a fala de Bolsonaro. Jair Bolsonaro sobre o auxiliar que ocupava a Casa Civil desde março do ano passado. Luiz Eduardo Ramos foi para a Secretaria de Governo.
  • Eduardo Pazuello, ex-ministro da Saúde, depôs durante quatro horas ontem na Polícia Federal. Ele é investigado por falhas na gestão da crise da pandemia.

Queda na média móvel de mortes por Covid: O Brasil registrou 1.354 novas mortes pela covid-19 na quinta (27) – número praticamente idêntico ao da véspera (1.360). A média móvel de mortes, cujo objetivo é eliminar distorções entre dias úteis e finais de semana, agora é de 1.070. Ao todo, 554.626 pessoas morreram.

Avanço na vacinação: Ao menos 63,8% da população do país já receberam a primeira dose da vacina. Os três estados mais avançados continuam sendo MS (76,3%), SP (75,5%) e RS (70,9%). Quanto à população totalmente imunizada, a média nacional é de 25% (35,8 milhões).

Enquanto você dormia

  • Gol reduz otimismo com temporada de verão e corta previsão sobre aeronaves no fim do ano
  • Dona da marca MMartan e controlada pela Coteminas, AMMO Varejo pede registro de IPO na CVM
  • BC avança discussões sobre moeda digital brasileira
  • Queda da renda diminui as vendas em supermercados (Valor)
  • ‘Provas’ de Bolsonaro sobre fraude em urnas são vídeos antigos com alegações falsas (Estadão)
  • Especialistas veem possível crime de responsabilidade e improbidade de Bolsonaro em live (Folha)
  • Voto impresso é rejeitado por maioria absoluta de presidentes de partidos, mostra levantamento (O Globo)
  • Household Spending Likely Rose in June, Before Delta Variant Upswing (WSJ)
  • How Biden Got the Infrastructure Deal Trump Couldn’t (NYT)

Na Bloomberg Línea

Agenda do dia

  • Balanços pré-mercado: Banco Pan
  • Balanços pós-mercado: Alpargatas, Usiminas
  • Estreias da bolsa: Clearsale inicia negociações na B3
  • Taxa de desemprego de maio (PNAD) (9h)
  • Relação dívida/PIB, resultados primário e nominal do setor público (9h30)
  • EUA: Renda pessoal junho (9h30)
  • EUA: Gastos pessoais junho (9h30)
  • Jair Bolsonaro: Cerimônia oficial de chegada do Presidente de Cabo Verde, João Carlos Fonseca, reunião com Pedro Cesar Sousa, Subchefe para Assuntos Jurídicos da Secretaria-Geral da Presidência e com Marcos Pontes, ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações.
  • Paulo Guedes (Economia): lançamento - Remição de Foro SPU/SEDDM/ME.
  • Roberto Campos Neto (BC): despachos internos em Miami.

Para não ficar de fora

TÓQUIO 2020: A seleção brasileira de futebol feminino foi eliminada pelo Canadá depois de empatar em 0 a 0 e perder a disputa nos pênaltis por 4 a 3. Com isso, o país perdeu a chance de chegar à semifinal do torneio olímpico para disputar medalha.

PUBLICIDADE

Top 5 da América Latina em medalhasdfd

INCÊNDIO NA CINEMATECA: Dois dias antes da reabertura do Museu da Língua Portuguesa, parcialmente destruído por um incêndio em dezembro de 2015, os acervos da cultura brasileira passam por outro drama: um incêndio atingiu um galpão da Cinemateca Brasileira na Vila Leopoldina, em São Paulo, nesta quinta-feira, ameaçando um acervo de mais de um milhão de documentos sobre a história do cinema no país.

No local, estavam guardados raridades, como imagens de expedições do marechal Cândido Mariano Rondon, no início do século 20. Ainda não há informações concretas sobre o que se perdeu e o que foi salvo. Não houve feridos.

Em julho do ano passado, o Ministério Público Federal tinha ajuizado uma ação para apurar o suposto descaso do governo com o acervo.

PUBLICIDADE

Em nota, a Secretaria Especial da Cultura disse ter solicitado apoio à Polícia Federal para investigação das causas do incêndio e “só após o seu controle total pelo Corpo de Bombeiros que atua no local poderá determinar o impacto e as ações necessárias para uma eventual recuperação do acervo e, também, do espaço físico”.

Segundo os bombeiros, o incêndio na instituição, a mais antiga da área na América Latina, foi iniciado após uma manutenção no ar-condicionado por uma empresa terceirizada.

Graciliano Rocha

Graciliano Rocha

Editor da Bloomberg Línea no Brasil. Jornalista formado pela UFMS. Foi correspondente internacional (2012-2015), cobriu Operação Lava Jato e foi um dos vencedores do Prêmio Petrobras de Jornalismo em 2018. É autor do livro "Irmã Dulce, a Santa dos Pobres" (Planeta), que figurou nas principais listas de best-sellers em 2019.

Ana Siedschlag

Ana Carolina Siedschlag

Editora na Bloomberg Línea. Jornalista brasileira formada pela Faculdade Cásper Líbero e especializada em finanças e investimentos. Passou pelas redações da Forbes Brasil, Bloomberg Brasil e Investing.com.

PUBLICIDADE