Com Threads, Zuckerberg cria ameaça mais séria ao Twitter de Elon Musk

Fundador do Facebook e da Meta quer aproveitar momento de fraqueza da plataforma social do bilionário concorrente, que perde funcionários, receitas e usuários

Após lançar o Threads, Mark Zuckerberg rompe hiato de 11 anos no Twitter para provocar Elon Musk
Por Edwin Chan
06 de Julho, 2023 | 04:23 AM

Leia esta notícia em

Espanhol

Bloomberg — Mark Zuckerberg postou seu primeiro tweet em mais de uma década, uma provocação a Elon Musk no dia em que o fundador da Meta Platforms (META) lançou o Threads, um rival muito aguardado para o Twitter.

O Instagram, da Meta, lançou oficialmente a nova rede social na noite de quarta-feira (5). O Threads é considerado a ameaça mais potente até o momento para o serviço de mídia social de Musk. Horas depois, Zuckerberg tuitou uma foto de homens-aranha idênticos que se enfrentam.

LEIA +
Instagram revela o Threads, app para concorrer com o Twitter de Elon Musk

O tuíte de Zuckerberg parece ter sido o primeiro desde 2012 - o fundador da Meta é um usuário pouco frequente - e foi publicado duas semanas depois que Musk o desafiou para uma luta em um octógono, sem esclarecer que se tratava de uma brincadeira ou não. Musk respondeu logo em seguida com sua própria resposta sobre o Instagram.

LEIA +
É pra valer? Elon Musk desafia Mark Zuckerberg para uma luta no octógono

“É infinitamente preferível ser atacado por estranhos no Twitter do que se entregar à falsa felicidade de esconder a dor no Instagram.”

PUBLICIDADE

O Threads busca se aproveitar de uma série de erros cometidos no Twitter. Desde que Musk adquiriu a empresa por US$ 44 bilhões em outubro passado, cortou milhares de funcionários, afrouxou as políticas de moderação de conteúdo e submeteu usuários e anunciantes a uma série de desafios técnicos.

Na mais recente e controversa mudança de política de uso, o Twitter limitou o número de tuítes que os usuários podem ver diariamente - uma medida que Musk chamou de “temporária” para afastar supostos coletadores de dados e bots.

“Deveria haver um aplicativo de conversas públicas com mais de 1 bilhão de pessoas nele”, disse Zuckerberg em um post no Threads. “O Twitter teve a oportunidade de fazer isso, mas não conseguiu. Espero que consigamos.”

PUBLICIDADE

Veja mais em Bloomberg.com

Leia também

Twitter vai limitar o uso do TweetDeck apenas a usuários pagantes e verificados