Microsoft faz acordo com sindicatos nos EUA sobre o impacto da IA nos empregos

Gigante da tecnologia formou uma aliança com dois grupos de trabalhadores para criar um ‘diálogo aberto’ sobre como a inteligência artificial deve afetar os trabalhadores

Loja da Microsoft em Nova York
Por Jackie Davalos e Josh Eidelson
11 de Dezembro, 2023 | 01:43 PM

Bloomberg — A Microsoft (MSFT) se uniu aos sindicatos para criar “um diálogo aberto” sobre como a inteligência artificial impactará os trabalhadores. A gigante de software formou uma aliança com a Federação Americana do Trabalho e o Congresso de Organizações Industriais, grupos que reúnem 60 sindicatos representando 12,5 milhões de trabalhadores, segundo um comunicado na segunda-feira (11).

Sob a parceria, a Microsoft fornecerá aos líderes sindicais e trabalhadores com treinamento formal sobre como a inteligência artificial funciona. As sessões educacionais começarão no fim de 2024. A Microsoft também começará a reunir feedback de grupos sindicais e se concentrará em sindicatos e trabalhadores em “setores-chave selecionados”.

A iniciativa marca a primeira colaboração formal sobre IA entre sindicatos e a indústria de tecnologia e coincide com crescentes preocupações de que a inteligência artificial poderia substituir os trabalhadores.

LEIA +
Em Paris, maioria dos trabalhadores prefere buscar novo trabalho a voltar ao presencial

O acordo também inclui um modelo para termos de “neutralidade” que facilitariam a organização de sindicatos na Microsoft. A ação expande uma abordagem que a empresa já concordou para seus trabalhadores da área de games e estabelece as bases para uma sindicalização mais ampla na Microsoft. Acordos de neutralidade comprometem as empresas a não conduzir campanhas anti-sindicais em resposta à organização dos trabalhadores.

PUBLICIDADE

Em um evento em Washington para anunciar parceria, o presidente da Microsoft, Brad Smith, disse que o objetivo é trazer ambos os grupos para a mesa para “melhorar” a forma como as pessoas trabalham.

“Não posso sentar aqui e dizer que a IA nunca substituirá um emprego. Não acho que seria honesto”, disse ele. “A IA é bem projetada para acelerar e eliminar algumas partes dos empregos das pessoas que você pode considerar como trabalho árduo.”

“Ao trabalhar diretamente com líderes sindicais, podemos ajudar a garantir que a IA sirva aos trabalhadores do país”, disse ele.

PUBLICIDADE

Os objetivos da aliança incluem “compartilhar informações detalhadas com líderes sindicais e trabalhadores sobre as tendências tecnológicas da IA, incorporar as perspectivas e experiência dos trabalhadores no desenvolvimento da tecnologia de IA” e “ajudar a moldar políticas públicas que apoiem as habilidades tecnológicas e as necessidades dos trabalhadores da linha de frente”.

“Esta parceria reflete o reconhecimento do papel crítico que os trabalhadores desempenham no desenvolvimento, implementação e regulamentação da IA e de tecnologias relacionadas”, disse a presidente da AFL-CIO, Liz Shuler, que chamou a colaboração de “uma aliança inovadora” e “histórica”.

Em outro acordo, a Microsoft concordou em incluir cláusulas sobre o de IA em um contrato que abrange algumas centenas de funcionários do estúdio de games da empresa, a ZeniMax.

O acordo provisório faz parte das negociações com o sindicato Communications Workers of America, a primeira negociação coletiva nos Estados Unidos na história da Microsoft.

O texto incorpora os seis princípios de IA previamente anunciados pela Microsoft, que comprometem a empresa a garantir que os sistemas “tratem todas as pessoas de maneira justa” e “capacitem todos e envolvam as pessoas”.

No novo acordo, que foi visto pela Bloomberg News, a Microsoft se compromete a aplicar “esses princípios de IA em todas as nossas tecnologias de IA para ajudar os funcionários a alcançarem maior produtividade, crescimento e satisfação no trabalho que fazem”.

A Microsoft não forneceu comentários em resposta às perguntas sobre a linguagem do contrato de IA.

PUBLICIDADE

Veja mais em Bloomberg.com

Leia também

Sobe e desce do petróleo ganha força com a popularidade de traders robôs

Após cinco aquisições em 2023, Totvs mantém a aposta em M&A para crescer, diz CEO

Com menos oferta de trabalho, jovens trocam grandes cidades da China pelo campo