Com valuation recorde, Microsoft e Google veem pressão para mostrar ganhos da IA

Riscos são mais altos para a Microsoft, cujas ações são negociadas em múltiplo elevado, e lançou serviços de assistência com suporte de IA baseados na tecnologia da OpenAI

Feria de Tecnología Industrial Hannover Messe
Por Ryan Vlastelica
30 de Janeiro, 2024 | 01:08 PM

Bloomberg — Por cerca de um ano, os investidores elevaram o preço das ações de tecnologia com a teoria de que sua exposição à inteligência artificial abrirá caminho para uma nova era com crescimento e eficiência elevados. Agora as empresas precisam provar.

A Microsoft (MSFT) e a Alphabet (GOOG), holding do Google, dois dos maiores players em software relacionado à IA, divulgarão seus resultados após o fechamento do mercado nesta terça-feira (30), e Wall Street deseja ter uma compreensão mais sólida a respeito de quando a tecnologia impulsionadora do rali começará a impactar os ganhos e a receita.

Ambas as ações têm sido impulsionadas pela empolgação com a IA; a Microsoft está acima de um valuation histórico de US$ 3 trilhões, enquanto a controladora do Google retornou às cotações máximas de todos os tempos.

“A IA pode facilitar o crescimento ao longo do futuro previsível, mas não tenho certeza de que a maioria das ações de big tech tenha muito a mostrar por enquanto”, disse Dan Taylor, que supervisiona cerca de US$ 40 bilhões como diretor de investimentos da Man Numeric.

PUBLICIDADE

“Qualquer clareza que eles possam fornecer sobre o impacto provável ao longo de 2024 ou 2025 será crucial. As expectativas são muito altas, e se as perspectivas não sustentarem isso, poderemos ver alguns problemas com as ações.”

A Microsoft subiu 0,4% na terça-feira, enquanto a Alphabet caiu 0,3%. O índice Nasdaq 100 caiu 0,2%.

Os riscos são especialmente altos para a Microsoft, que negocia a um múltiplo elevado e lançou serviços de assistência com suporte de IA relacionados ao seu investimento na OpenAI.

No último trimestre, seus resultados destacaram o impacto crescente que a IA teve no crescimento de seu negócio de nuvem Azure, e os investidores estarão procurando uma repetição do desempenho — ou algo melhor.

Ambas as ações estão entre as chamadas “Magnificent Seven” que lideraram o avanço do mercado. Elas subiram mais de 70% desde o final de 2022, incluindo ganhos de quase 10% em janeiro. O índice Nasdaq 100 subiu menos de 5% neste ano.

As expectativas são altas para o crescimento relacionado à IA.

O UBS prevê uma receita de US$ 420 bilhões em IA até 2027, em comparação com US$ 28 bilhões em 2022, e disse que a IA “pode ser argumentavelmente o tema tecnológico da década, já que não vemos perfis de crescimento semelhantes em outros lugares.”

PUBLICIDADE

Tanto a Microsoft quanto a Alphabet são vistas na vanguarda. Além dos produtos assistentes da Microsoft e da IA impulsionando a demanda por computação em nuvem, a Alphabet lançou recentemente seu modelo de IA Gemini, dissipando preocupações de que tenha ficado para trás do ChatGPT da OpenAI.

Os resultados da Alphabet foram vistos como uma decepção no último trimestre, especialmente com seu negócio de nuvem.

Os relatórios iminentes devem refletir um crescimento saudável para ambas as empresas. A receita da Microsoft deve subir cerca de 16%, enquanto a da Alphabet deve chegar a cerca de 12%.

No entanto, as expectativas consensuais para o trimestre mal mudaram para qualquer uma nos últimos três meses, de acordo com dados compilados pela Bloomberg, sugerindo que a empolgação com a IA não está se traduzindo em expectativas de curto prazo aprimoradas.

adfd

Para a Microsoft, “este é um ano de estabelecimento das bases para a adoção da GenAI, já que ainda estamos taxiando em direção à pista, com a decolagem real do M365 provavelmente mais próxima de 2025″, escreveram analistas do JPMorgan Chase, referindo-se à família de software de produtividade da empresa.

O Citigroup calcula uma monetização de US$ 7 bilhões para o Office Consumer Copilot até o ano fiscal de 2026 da Microsoft; a empresa faturou cerca de US$ 212 bilhões em receita total no ano passado.

Se a Microsoft indicar que uma inflexão da IA está mais distante do que Wall Street está antecipando, isso poderá pressionar as ações. As ações são negociadas acima de 33 vezes o lucro estimado, o mais alto em cerca de dois anos, e bem acima da média de 10 anos abaixo de 24.

O índice Nasdaq 100 tem um múltiplo de 26. O múltiplo da Alphabet é menor, em 21 vezes, mas isso representa um pequeno prêmio em relação à sua média de longo prazo.

“A IA é algo que estamos tentando entender, já que mesmo que seja transformadora, traduzir isso em produtos e lucros é desafiador, e estamos tentando entender os impulsionadores do crescimento no futuro”, disse Michael Rosen, diretor de investimentos da Angeles Investments.

“Eu acho que essas são empresas sólidas que provaram sua capacidade de gerar lucratividade muito forte ao longo de um período muito longo, mas, dado o que tivemos, não me surpreenderia ver o mercado vendendo com base nos lucros, mesmo se as notícias forem boas.”

Veja mais em Bloomberg.com

Leia também

CEO da Petrobras: crise no Oriente Médio pode elevar petróleo acima de US$ 90

Presidente da NYSE espera mais IPOs à frente mesmo com a volatilidade do mercado