Gympass recebe US$ 85 milhões em rodada e eleva valuation a US$ 2,4 bilhões

Startup de benefícios corporativos para saúde e bem-estar elevou o seu valor de avaliação mesmo em um período de baixa no mercado de venture capital

Academia é um dos serviços oferecidos pela startups para funcionários de empresas que são clientes
23 de Agosto, 2023 | 10:32 AM

Bloomberg Línea — A Gympass, plataforma de benefícios corporativos para saúde e bem-estar, informou nesta quarta-feira (23) ter realizado uma rodada de financiamento de US$ 85 milhões (aproximadamente R$ 419 milhões). O investimento foi liderado pelo fundo EQT Growth, do grupo sueco de private equity EQT, e avalia a empresa em US$ 2,4 bilhões.

A rodada de financiamento contou com a participação dos já investidores General Atlantic e Moore Strategic Ventures, que decidiram aumentar suas participações na empresa para não serem diluídos. Em 2021, o SoftBank investiu US$ 220 milhões na startup a um valuation de US$ 2,2 bilhões. O conglomerado japonês não participou desta última rodada.

A notícia foi informada inicialmente pelo Wall Street Journal.

O investimento ocorre em um momento em que outras startups brasileiras têm conseguido levantar recursos após um período de baixa para o mercado de venture capital na região.

PUBLICIDADE

Nesta terça-feira (22), a fintech Nomad informou ter levantado um investimento de US$ 61 milhões (R$ 300 milhões), em uma rodada Série B liderada pelo fundo americano Tiger Global. A startup foi avaliada em R$ 1,8 bilhão (US$ 365 milhões) no negócio.

A Gympass, fundada em 2012, oferece aos colaboradores de suas empresas clientes acesso a uma a rede de academias e estúdios de fitness, bem como aulas virtuais, sessões de meditação, pilates e outros serviços relacionados à saúde.

Durante a fase mais aguda da pandemia, principalmente em 2020, quando as academias tiveram que permanecer fechadas, a startup teve de reinventar seu modelo de negócio e reformulou o seu aplicativo para incluir serviços online de exercícios físicos e bem-estar, de forma a manter a operação e não perder os clientes.

PUBLICIDADE

A mudança também implicou em uma reestruturação, e a startup precisou demitir cerca de 20% do quadro de funcionários.

Anteriormente, a empresa recebeu US$ 4,92 milhões em financiamento de dívida na forma de um empréstimo de primeiro prazo de Blackrock Capital Investment Corporation BDC, BlackRock Private Credit Fund BDC e BlackRock TCP Capital BDC em 8 de julho de 2022. Segundo dados do PitchBook, a Koolen & Partners vendeu uma participação na Gympass para um comprador não revelado.

Leia também

Gympass fortalece aposta em bem-estar em preparação para IPO

Isabela  Fleischmann

Jornalista brasileira especializada na cobertura de tecnologia, inovação e startups