Negócios

Meta: melhora nas vendas de anúncios compra tempo para metaverso de Zuckerberg

Aceleração da publicidade e negócio mais enxuto podem fornecer o suporte necessário para que Zuckerberg continue investindo em IA e metaverso

Companhia relatou receita de US$ 32 bilhões para o segundo trimestre
Por Aisha Counts e Alex Barinka
27 de Julho, 2023 | 09:12 AM

Bloomberg — A Meta Platforms (META) afirmou que a recuperação na publicidade impulsionará o crescimento da receita no ritmo mais rápido desde 2021, ajudando o CEO Mark Zuckerberg a reavivar o apoio dos investidores para suas ambições de longo prazo.

A receita da Meta poderá crescer até 20% no trimestre atual, segundo anunciou a empresa na noite de quarta-feira (26). Essa taxa é a mais alta que a gigante das redes sociais registrou desde antes da economia pós-pandemia lenta e uma mudança nas regras de privacidade da Apple (AAPL), que levou à pior queda nas vendas de publicidade digital da Meta na história.

A receita caiu pela primeira vez no ano passado, levando os investidores a perder a paciência com os gastos de Zuckerberg fora do negócio principal.

LEIA +
Threads deve garantir à Meta mais US$ 8 bilhões de receita ao ano

Depois de reduzir milhares de funcionários e melhorar a eficiência do negócio de publicidade por meio de inteligência artificial, Zuckerberg está agora em uma posição mais forte com seus acionistas.

PUBLICIDADE

Mesmo as notícias de que os gastos continuarão a aumentar nos próximos dois anos não impediram o bom humor do mercado com as ações, que subiam mais de 7% às 9h (horário de Brasília) desta quinta-feira (27), antes da abertura dos mercados em Nova York.

“Achamos que o retorno do investimento está se tornando mais claro”, disse Dan Salmon, analista da New Street Research, que recentemente elevou a classificação das ações para “compra”.

A aceleração da publicidade da Meta e um negócio mais enxuto podem fornecer o suporte necessário a Zuckerberg para que ele continue investindo em inteligência artificial e sua visão futurística do metaverso, um mundo de realidade virtual que o CEO espera que todos abracem um dia.

PUBLICIDADE

Em uma teleconferência com analistas após a divulgação do balanço, os executivos prometeram continuar cuidadosos com os gastos e prioridades.

“Esperamos trazer a disciplina e os hábitos que construímos durante este ano de eficiência conosco ao planejar o futuro”, disse a diretora financeira Susan Li. “Ao mesmo tempo, continuamos focados em investir nas grandes oportunidades pela frente. Isso é especialmente verdadeiro nas áreas onde vemos as oportunidades mais significativas, que incluem a IA e o metaverso.”

LEIA +
Meta faz novas demissões no Brasil e no mundo e avisa funcionários por e-mail

A Meta relatou receita de US$ 32 bilhões para o segundo trimestre, superando as estimativas dos analistas de US$ 31,1 bilhões. Zuckerberg e Li garantiram associar seus planos de aumentar os gastos com melhorias no negócio principal.

“Vemos uma série de oportunidades que a Meta pode aproveitar para monetizar a IA”, disse Angelo Zino, analista da CFRA. Isso inclui melhorar recomendações e classificações, além de usar a IA generativa para criar novos produtos.

É o caso, por exemplo, de chatbots de IA, “agentes” e “treinadores” que Zuckerberg sugeriu durante a coletiva. A IA “irá complementar, tocar e transformar cada coisa que estamos fazendo. E estou realmente animado com isso”, disse ele.

Reels puxam resultado

A recuperação da receita de publicidade da Meta é resultado de um investimento em Reels, os vídeos de formato curto no Instagram e Facebook que foram criados para copiar o formato do rival TikTok.

Os Reels foram reproduzidos mais de 200 bilhões de vezes no Instagram e Facebook, tornando-se mais populares devido a melhorias na segmentação do feed de cada pessoa com vídeos que se encaixam em seus interesses, segundo a Meta.

PUBLICIDADE

O compromisso da Meta em mostrar aos usuários mais Reels – e anúncios entre os videoclipes – também reduziu a lucratividade, porque esses anúncios não geram dinheiro tão rapidamente para a gigante de tecnologia como outros tipos de conteúdo.

Ainda assim, a receita dos Reels está crescendo, atingindo uma taxa de vendas anual de US$ 10 bilhões, disse Zuckerberg, contra US$ 3 bilhões no terceiro trimestre de 2022.

Esse impulso está permitindo que Zuckerberg continue perdendo dinheiro no metaverso – um ponto de atrito com os investidores no ano passado. No balanço de quarta-feira, a Meta disse que a Reality Labs, a divisão que produz a tecnologia do metaverso, registrou um prejuízo operacional de US$ 3,7 bilhões.

“Não posso garantir que estou certo sobre essa aposta”, disse Zuckerberg, mas “acredito que ficaremos felizes por termos feito isso”.

PUBLICIDADE

Veja mais em bloomberg.com

Leia também:

Soho House, clube global exclusivo, chega ao país em dezembro no Cidade Matarazzo

Barbie pode salvar o varejo? Como o filme deve impactar o setor no Brasil