Como a Netflix descolou dos rivais e voltou a crescer como no início da pandemia

Gigante do streaming ganhou 13,1 milhões de clientes no mundo no quarto trimestre de 2023, acima dos 8,91 milhões previstos em Wall Street; parte do sucesso veio de planos com anúncios

Letreiro da Netflix em Los Angeles: gigante do streaming tem crescido enquanto concorrentes 'patinam'
Por Lucas Shaw
24 de Janeiro, 2024 | 04:45 AM

Bloomberg — A Netflix conquistou 13,1 milhões de clientes nos últimos três meses de 2023, o melhor trimestre da gigante do streaming desde que os telespectadores ficaram em casa nos primeiros dias da pandemia. O avanço superou a estimativa de Wall Street de 8,91 milhões e também as projeções em todas as regiões do mundo.

A empresa adicionou mais de 5 milhões de clientes na Europa, no Oriente Médio e na África. As vendas subiram para US$ 8,83 bilhões, disse a empresa na terça-feira (23) depois do fechamento do mercado, também superando as previsões.

As ações da Netflix (NFLX) subiram até 8,9%, para US$ 535,91, nas negociações do after market, após o anúncio dos ganhos. Elas subiram 38% no último ano até o fechamento em Nova York.

A Netflix se recuperou de um 2022 tumultuado ao registrar um dos seus anos de maior crescimento de clientes, impulsionado pela repressão ao compartilhamento de senhas, pela introdução de uma opção mais barata com suporte de anúncios e por uma sólida programação.

PUBLICIDADE

Os programas de sucesso do último trimestre incluíram o thriller pós-apocalíptico “Leave the World Behind” e um documentário sobre o ex-jogador de futebol e hoje empresário David Beckham.

O desempenho sólido da Netflix contrasta fortemente com muitos de seus concorrentes em Hollywood, que operam redes de cabo em declínio ou serviços de streaming não lucrativos. Essas empresas agora estão em processo de fusão e cortam empregos para tentar se manterem competitivas.

A Disney (DIS), por exemplo, anunciou em meados de 2023 que gastaria US$ 1,5 bilhão para remover conteúdo de sua plataforma de streaming, a Disney+, como parte do plano para reduzir o seu prejuízo e torná-lucrativa.

PUBLICIDADE

Apenas alguns anos atrás, parecia que a Netflix havia atingido um limite de crescimento depois de perder clientes no primeiro semestre de 2022. Mas as medidas tomadas desde então deram resultados.

“Acreditamos que abordamos com sucesso o compartilhamento de contas, garantindo que, quando as pessoas desfrutam da Netflix, elas paguem pelo serviço também”, disse a empresa em uma carta aos acionistas.

Embora a camada com suporte de anúncios tenha apresentado um início lento, ela começou a ganhar momentum. A empresa afirmou no início deste mês que agora possui mais de 23 milhões de pessoas usando esse serviço.

Ainda assim, a Netflix ainda tem muito trabalho a fazer para melhorar seu negócio de publicidade, disse o co-CEO Greg Peters na terça-feira. A empresa precisa atrair mais clientes, introduzir novos produtos e aprimorar sua tecnologia. A gestão acredita que a Netflix pode capturar bilhões de dólares das redes de TV lineares.

“Temos centenas de milhões de domicílios qualificados por aí que ainda não assinaram a Netflix”, disse Peters em teleconferência com investidores. “Eu não posso acreditar, mas eles estão lá e precisamos conquistá-los.”

Mais cedo nesta terça, a Netflix anunciou o seu primeiro investimento de longo prazo em eventos ao vivo, o que representa um novo passo rumo à diversificação do seu conteúdo.

O acordo de dez anos para oferecer programação ao vivo semanal da World Wrestling Entertainment (WWE), empresa referência em combates de luta livre, será válido a partir de 2025 e prevê investimento de US$ 5 bilhões da Netflix.

PUBLICIDADE
Netflix tem seu melhor trimestre em aumento da base de assinantes desde o começo de 2020, primeiro ano da pandemiadfd

O co-CEO Ted Sarandos descreveu a WWE como entretenimento esportivo e disse que o acordo não é um sinal do interesse da empresa em direitos esportivos - pelo menos, não por ora. A WWE tem uma grande base de fãs multigeracional que crescerá na Netflix, especialmente no exterior, disse ele.

Além disso, a transmissão de luta livre ao vivo deve impulsionar o negócio de publicidade.

A Netflix ainda ganha quase todo o seu dinheiro com pessoas que pagam para assistir a filmes e programas de TV sob demanda, mas começou a investir tanto em programação ao vivo quanto em games.

Apesar do otimismo de Peters com o potencial, o robusto crescimento de assinantes no final do ano pode não continuar em 2024.

PUBLICIDADE

A Netflix disse que não adicionará tantos clientes no primeiro trimestre de 2024 quanto fez nos últimos meses de 2023, embora a contagem supere o 1,75 milhão do mesmo período do ano anterior. Wall Street espera, na mediana das projeções, que a Netflix adicione 4,31 milhões de clientes no trimestre.

Isso, no entanto, não prejudicará o crescimento das vendas. A Netflix disse que continuará a impulsionar a receita a uma taxa de dois dígitos, em parte aumentando os preços, como tem feito há muitos anos.

Os ganhos do quarto trimestre subiram para US$ 2,11 por ação, embora tenham ficado aquém das previsões de Wall Street. A Netflix gerou um lucro líquido de US$ 5,41 bilhões para todo o ano passado e encerrou 2023 com US$ 7,1 bilhões em dinheiro e investimentos de curto prazo.

Veja mais em Bloomberg.com

PUBLICIDADE

Leia também

Disney vai gastar US$ 1,5 bilhão para remover conteúdos do streaming

PUBLICIDADE

A estratégia do Mercado Livre ao entrar em streaming. E não é desafiar a Netflix

Netflix testa parceria com Carrefour para oferecer streaming e desconto no mercado