Bayer estuda cisão das áreas de cultivo ou saúde para simplificar estrutura

Estratégia abre portas à simplificação dos negócios pela primeira vez desde a compra da Monsanto por US$ 63 bilhões, segundo o CEO Bill Anderson

CEO da Bayer cogita simplificar estrutura com cisão das áreas de cultivo ou de saúde do consumidor
Por Eyk Henning e Tim Loh
08 de Novembro, 2023 | 06:25 AM

Leia esta notícia em

Espanhol

Bloomberg — A Bayer poderá separar suas operações de saúde do consumidor ou de ciências agrícolas, abrindo claramente a porta para simplificar seus negócios pela primeira vez desde a compra da Monsanto por US$ 63 bilhões. A informação vem do CEO da empresa, Bill Anderson.

“Estamos redesenhando a Bayer para nos concentrarmos apenas no que é essencial para a nossa missão e nos livrarmos de todo o resto”, disse o CEO, enquanto o conglomerado agrícola e farmacêutico divulgava resultados decepcionantes do terceiro trimestre. Isso provavelmente afetará a força de trabalho, bem como a estrutura da empresa, disse ele.

LEIA +
Júri condena a Monsanto, da Bayer, a pagar US$ 332 mi em polêmico caso sobre o Roundup

Anderson, que assumiu o cargo de CEO em junho, está considerando uma possível cisão que poderia liberar valor e atender às demandas de investidores ativistas. Seu antecessor recusou tal medida, mesmo depois que o acordo com a Monsanto azedou.

O lucro caiu 31%, para 1,69 bilhão de euros (US$ 1,80 bilhão) antes de juros, impostos, depreciação e amortização no último trimestre, ficando aquém das estimativas, prejudicado pela queda dos preços do glifosato, o ingrediente ativo de seu herbicida Roundup, sucesso de vendas.

PUBLICIDADE

A Bayer reiterou que as vendas e o lucro provavelmente cairão este ano e disse que espera “uma perspectiva de crescimento suave e desafios contínuos” para a lucratividade no próximo ano.

As ações pouco se alteraram no início das negociações em Frankfurt. Ela caiu 20% nos últimos 12 meses.

“Não estamos satisfeitos com o desempenho deste ano”, disse Anderson. “Quase 50 bilhões de euros em receita, mas fluxo de caixa zero é simplesmente inaceitável.”

PUBLICIDADE

A Bayer removerá várias camadas de gerenciamento e coordenação até o final do próximo ano e elaborará seus planos futuros em um dia do investidor em março, disse Anderson.

Bayer CEO Eyes Breakup After Difficult Few Yearsdfd

O texano ingressou na empresa no momento em que a Bayer enfrenta uma série de desafios nas frentes da ciência dos cultivos e da indústria farmacêutica. Suas declarações são a imagem mais tangível que a Bayer já ofereceu sobre sua abertura para potencialmente romper o modelo de negócios atual.

Anderson considerou e depois descartou uma divisão simultânea em três partes, disse ele na quarta-feira.

Werner Baumann, seu antecessor, sobreviveu a repetidas repreensões dos acionistas durante seu mandato de sete anos como CEO antes de deixar o cargo este ano. Defensor ferrenho do enfoque de conglomerado da Bayer, Baumann liderou a aquisição da Monsanto, gigante do setor de cultivos.

O negócio sobrecarregou a Bayer com dívidas e enormes dores de cabeça legais relacionadas ao Roundup.

Veja mais em Bloomberg.com

Leia também:

PUBLICIDADE

Madero mantém cautela para 2024 e dá o tom do setor de restaurantes no país

WeWork diz que operação no Brasil não é afetada por recuperação judicial