Por que o Bank of America vê recuo de estratégia 60/40 depois de mês histórico

Michael Hartnett, estrategista do banco de Wall Street, avalia que clássica alocação de 60% em ações e 40% em renda fixa tende a ter queda após forte alta em novembro

Logo do Bank of America em agência nos EUA
Por Farah Elbahrawy
01 de Dezembro, 2023 | 12:28 PM

Bloomberg — O estrategista Michael Hartnett, do Bank of America (BAC), que previu corretamente a recuperação da tradicional estratégia 60/40 para carteiras mistas de renda variável e fixa nos Estados Unidos, alertou para uma possível reversão acentuada.

A estratégia, que envolve colocar 60% de uma carteira em ações e 40% em títulos, acaba de ter seu melhor mês desde a recuperação desencadeada pela dissolução da União Soviética há mais de 30 anos, segundo o BofA.

Uma análise de dados históricos conduzida por Hartnett e sua equipe mostra que, normalmente, meses com fortes ganhos como novembro são seguidos de um recuo.

O S&P 500 e os Treasuries americanos de 10 anos deram um retorno combinado de 12% em novembro, em meio ao otimismo de que o Federal Reserve terminou seu ciclo de aumentos de juros.

PUBLICIDADE

Nos últimos 40 anos, um retorno mensal conjunto tão alto ou maior só ocorreu 10 vezes, segundo dados compilados pela Bloomberg.

Um índice de referência da Bloomberg que mede o desempenho do mercado de ativos cruzados nos EUA mostra que uma carteira típica 60/40 ganhou cerca de 14% este ano, após o pior ano desde a crise financeira global. Hartnett previu no final do ano passado que a estratégia se recuperaria em 2023.

Veja mais em Bloomberg.com

PUBLICIDADE

Leia também

Setor de óleo e gás ganha fôlego em LatAm, com investimentos previstos de US$ 500 bi

Novos bilionários herdaram mais riqueza do que criaram, diz UBS

Rali do bitcoin leva criptomoeda ao maior patamar em 18 meses