Ouro se aproxima de máxima histórica com riscos geopolíticos e Fed no radar

Metal avança quase US$ 100 nas últimas cinco sessões, impulsionado por tensões geopolíticas, expectativas de afrouxamento monetário e risco de uma queda nos mercados de ações

Metal teve uma alta de quase US$ 100 nas últimas cinco sessões
Por Jack Ryan - Jason Scott
05 de Março, 2024 | 10:28 AM

Bloomberg — O ouro avança nesta terça-feira (5) e se aproxima de uma máxima histórica, à medida que a especulação sobre uma mudança de postura do Federal Reserve e os riscos geopolíticos sustentaram o rali do metal precioso.

Ao chegar aos US$ 2.127,37 a onça, o ouro subiu até 0,6%, ficando apenas um pouco abaixo do recorde alcançado em 4 de dezembro do ano passado, de US$ 2.135,39.

O ouro teve uma alta de quase US$ 100 nas últimas cinco sessões, impulsionado por uma combinação de tensões geopolíticas, expectativas de afrouxamento monetário e o risco de uma queda nos mercados de ações.

A magnitude do movimento recente surpreendeu alguns analistas do mercado, que dizem que pode ser parcialmente impulsionada pelo momentum.

PUBLICIDADE

O crescente risco de uma correção no mercado de ações – sinalizada pelos dados fracos da indústria dos EUA na sexta-feira (1º) – pode ter persuadido alguns investidores a saírem das ações e migrarem para o ouro, disse Ole Hansen, estrategista de commodities do Saxo Bank.

Embora o momento da mudança de postura do Fed permaneça incerto, sinais de que ela está se aproximando têm sustentado o ouro desde meados de fevereiro.

Os mercados cambiais a termo mostram quase 60% de chance de um corte nas taxas em junho, uma probabilidade maior do que no início do mês passado. As taxas de juros menores são tipicamente positivas para o metal precioso, que não oferece nenhum juro.

PUBLICIDADE

Essa incerteza levou alguns analistas a questionarem a sustentabilidade do recente avanço do ouro.

“Achamos que o rali é frágil”, disse Thu Lan Nguyen, chefe de pesquisa de commodities do Commerzbank. “Não ficaríamos surpresos em ver uma pequena correção para baixo nos próximos dias para realização de lucros.”

Metal precioso avança com apostas sobre cortes de juros nos EUAdfd

O papel do ouro como refúgio tem sido enfatizado pelos riscos geopolíticos elevados, com ataques aos navios-tanque no Mar Vermelho mostrando tensões crescentes no Oriente Médio.

Os problemas econômicos da China e a eleição presidencial nos EUA no final do ano também tornam essa uma mistura potencialmente volátil.

O ouro à vista subia 0,4% negociado a US$ 2.134 a onça às 10h15 (horário de Brasília) A prata operava de lado, enquanto o platina e o paládio caíam.

Veja mais em bloomberg.com