Fim do rali de tecnologia? Balanços de Apple e Amazon podem dar a resposta

Empresas divulgam seus resultados trimestrais nesta quinta; ambas as ações têm sido fundamentais para o avanço do índice S&P 500 neste ano

Avanço de 48% das ações da companhia em 2023 a tornou a única empresa avaliada em mais de US$ 3 trilhões
Por Ryan Vlastelica
03 de Agosto, 2023 | 09:31 AM

Bloomberg — Os resultados da Apple (AAPL) e da Amazon (AMZN) após o fechamento do pregão em Nova York nesta quinta-feira (3) representam o próximo grande obstáculo para a alta impulsionada pelo setor de tecnologia no mercado, e pode ser o mais difícil de superar.

Ambas as ações têm sido fundamentais para o avanço do índice S&P 500 neste ano, atraindo investidores com suas receitas relativamente resilientes e dominância no mercado.

No entanto, a questão é se elas podem impulsionar novos ganhos, considerando que são negociadas a múltiplos elevados, enfrentam ventos contrários em seus negócios principais e têm exposição limitada à inteligência artificial – um dos principais impulsionadores do avanço deste ano.

“Com esses valuations, os múltiplos precisam diminuir ou os lucros precisam se recuperar de forma muito robusta, o que pode ser difícil, já que muita empolgação em torno da inteligência artificial já foi precificada”, disse Irene Tunkel, estrategista-chefe de ações dos EUA na BCA Research.

PUBLICIDADE

“Mas isso ainda é mais uma palavra da moda do que algo que está impulsionando o crescimento de forma significativa.”

Resultados da Apple e Amazon seguem fortes ganhosdfd

As ações de tecnologia, mais sensíveis às taxas de juros, sofreram um golpe na quarta-feira (2), depois que os rendimentos dos títulos do Tesouro dispararam após o rebaixamento da dívida soberana dos EUA pela Fitch.

Uma alta impulsionada pelas ações de tecnologia adicionou mais de US$ 6 trilhões em valor ao índice S&P 500 este ano, mas o setor tem lutado para avançar depois de se aproximar a 5% do recorde histórico do Nasdaq 100 no mês passado, apesar dos relatórios melhores do que o esperado da Alphabet (GOOGL) e da Meta Platforms (META).

A Apple, cujo aumento de 48% em 2023 a tornou a única empresa avaliada em mais de US$ 3 trilhões, será especialmente crítica para que a alta seja retomada. A ação representa quase 8% do índice S&P 500, o que lhe confere enorme influência sobre o benchmark.

Espera-se que a Apple reporte uma queda de 1,7% na receita em seu terceiro trimestre fiscal, o que seria sua terceira contração consecutiva em relação ao ano anterior.

Ela também enfrenta riscos de um mercado de smartphones fraco na China, um de seus maiores mercados, enquanto uma previsão de receita fraca da Qualcomm na quarta-feira destacou a demanda fraca por dispositivos móveis.

No entanto, a Apple é negociada a quase 30 vezes o lucro estimado, acima de sua média de longo prazo e com um prêmio em relação ao mercado como um todo.

PUBLICIDADE

“A Apple parece ser uma história estável, em vez de uma que avançará rapidamente no crescimento, e não sei o que ela pode fazer para empolgar ainda mais os investidores, dado o desempenho que teve”, disse David Klink, analista sênior de ações no Huntington Private Bank.

“Ela parece cara e presumivelmente todos que desejam possuí-la já a possuem, então você realmente tem que se perguntar o que ela poderia fazer para obter uma alta.”

Após subir 53% em 2023, a Amazon é negociada a cerca de 40 vezes o lucro estimado. Embora isso esteja abaixo de sua média de longo prazo, um dos principais impulsionadores da rentabilidade da empresa vem de seu negócio de nuvem, o Amazon Web Services (AWS).

Como um possível sinal de alerta, a Microsoft (MSFT) alertou na semana passada sobre uma desaceleração contínua em seu negócio de computação em nuvem.

“Os resultados da Microsoft foram decentes, mas mesmo resultados decentes podem não ser bem recebidos com a Amazon”, disse Klink. “Ela ainda é líder do mercado de serviços em nuvem, e se também mostrar desaceleração, pode indicar que os investidores se adiantaram demais.”

-- Com a colaboração de Subrat Patnaik e Paul Jarvis.

Veja mais em bloomberg.com

Leia também:

Mercado Livre: lucro supera projeções no 2º tri e ações sobem mais de 5%

BMW: demanda por carros elétricos leva marca de luxo a projetar venda maior