Ações asiáticas apontam para ganhos na abertura após rali em Wall Street

Investidores seguem repercutindo falas do presidente do Federal Reserve, Jerowe Powell, enquanto aguardam novos dados da economia dos EUA na semana

Inside The Hong Kong Exchange Trading Floor
Por Matthew Burgess
03 de Dezembro, 2023 | 08:12 PM

Bloomberg — As ações asiáticas apontam para uma abertura em alta na segunda-feira (4), à medida que os mercados analisam falas do presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, de que os formuladores de políticas monetárias não têm pressa em reduzir as taxas de juros.

Os futuros de ações na Austrália, Japão e Hong Kong indicam ganhos iniciais quando os mercados reabrirem na segunda. O índice S&P 500, dos EUA, subiu na sexta-feira (1º), encerrando no campo positivo pela quinta semana consecutiva e alcançando seu maior fechamento desde março de 2022.

Os contratos na China continental apontam para uma perda inicial depois que o Índice Golden Dragon - um indicador das ações chinesas listadas nos EUA - caiu 1% em sua última sessão.

LEIA +
PIB, cúpula do Mercosul e payroll nos EUA: os principais assuntos da semana

As ações e os títulos dos EUA tiveram alta na sexta-feira, já que Powell observou que a política monetária está “bem dentro do território restritivo”, embora o BC americano esteja pronto para aumentar ainda mais os juros, se necessário.

PUBLICIDADE

O dólar caiu, os rendimentos dos títulos do Tesouro de dois anos afundaram para o menor nível desde junho, e os traders aumentaram as apostas em um corte de 0,25 ponto percentual dos juros do Fed em março, com contratos precificando totalmente uma redução em maio. Eles projetam mais de um ponto completo de flexibilização até dezembro de 2024.

“O grande rebote nas ações as deixou tecnicamente sobrecompradas e em risco de uma consolidação ou recuo de curto prazo”, escreveu Shane Oliver, chefe de estratégia de investimentos e economista-chefe da AMP, em Sydney, em nota aos clientes.

“No entanto, mais ganhos são prováveis até o final do ano e início do próximo, à medida que a inflação continua a diminuir” e a sazonalidade positiva do mercado entra em vigor ainda este mês, disse ele.

PUBLICIDADE

O recente rali nas ações e nos títulos dos EUA acontece à medida que sinais se acumulam – em dados recentes e em alertas das principais varejistas - de que, após desafiar as expectativas durante todo o ano e esbanjar durante o verão no hemisfério norte, os lares americanos estão começando a recuar.

Uma medida da atividade industrial nos EUA encolheu pelo 13º mês consecutivo em novembro, à medida que as altas taxas de juros continuam a impactar o lado de produção de bens da economia.

Entre as commodities, o petróleo estendeu as quedas na sexta-feira, encerrando a sexta semana consecutiva de queda, já que os cortes de produção da Opep+ anunciados na semana passada não dissiparam o pessimismo do mercado em relação ao aumento das ofertas globais.

Agenda da semana

Na semana, traders estarão atentos a pistas sobre a saúde da economia global, com dados de crescimento australiano, inflação chinesa e folhas de pagamento não agrícolas dos EUA. Espera-se que o Reserve Bank of Australia adote uma postura hawkish ao manter sua taxa inalterada na terça-feira (5), após Michele Bullock alertar que a inflação agora é interna.

Embora a inflação mais moderada do que o esperado mantenha a pausa dos juros pelo BC australiano, “a inflação de serviços ‘interna’ persistente garantirá que um viés de aperto seja mantido”, escreveu Tony Sycamore, analista da IG Group em Sydney, em nota aos clientes. “Um aumento da taxa em fevereiro depende do resultado da inflação do quarto trimestre, a ser divulgada no final de janeiro.”

Os traders também estarão de olho nos mercados de ouro e petróleo, à medida que as tensões geopolíticas no Oriente Médio e na Ásia mostram sinais de escalada. Israel retomou sua operação militar em Gaza, um navio de guerra dos EUA foi atacado no Mar Vermelho e os houthis no Iêmen disseram ter realizado operações contra dois navios israelenses.

No cenário corporativo, a China Evergrande, a incorporadora mais endividada do mundo, enfrenta uma audiência em um tribunal de Hong Kong na segunda-feira sobre um pedido de credores para liquidar a empresa.

PUBLICIDADE

As ações das companhias aéreas dos EUA estarão em foco quando Wall Street reabrir na segunda-feira, depois que a Alaska Air Group concordou em comprar a Hawaiian Airlines da rival Hawaiian Holdings em um acordo avaliado em US$ 1,9 bilhão.

Veja mais em bloomberg.com

Leia também:

Com IPO nos EUA, Shein enfrenta desafio de convencer investidores e reguladores

Como a descoberta de um estudante abalou o mercado de títulos nos EUA