David Solomon, CEO do Goldman, prevê ‘zero’ cortes nos juros dos EUA este ano

Executivo chamou a atenção para uma economia mais robusta, com investimentos em infraestrutura de IA também contribuindo para a resiliência

David Solomon, CEO do Goldman Sachs
Por Brooke Sutherl
23 de Maio, 2024 | 08:45 AM

Bloomberg — O CEO do Goldman Sachs (GS), David Solomon, disse esperar que o Federal Reserve não reduza as taxas de juros este ano, em meio a uma economia que se mostrou mais resiliente graças aos gastos do governo.

“Eu ainda não vejo dados que justifiquem uma redução das taxas de juros aqui,” disse ele na quarta-feira (22) em um evento organizado pelo Boston College, acrescentando que atualmente prevê “zero” cortes.

Os investimentos em infraestrutura de IA também ajudaram a economia a ser mais resiliente ao aperto monetário do Fed, disse ele.

Leia mais: Fed sinaliza em ata de reunião disposição para manter juro alto por mais tempo

PUBLICIDADE

No entanto, o consumidor está começando a sentir o impacto dos preços mais altos, afirmou Solomon. Ele apontou os balanços trimestrais recentes do McDonald’s e da AutoZone como evidências de que os consumidores estão começando a reduzir os gastos.

“Se você está conversando com CEOs que administram empresas que realmente lidam com o que eu chamaria de o centro da economia americana, essas empresas começaram a ver mudanças nos comportamentos dos consumidores,” disse.

“A inflação não é apenas nominal. É cumulativa, e por isso tudo está mais caro. Você está começando a ver o consumidor, o americano médio, sentir isso.”

Segundo ele, essa mudança no comportamento do consumidor aumenta o risco de uma desaceleração “real e palpável” em comparação com seis meses atrás. Solomon também citou a fragilidade geopolítica, algo que, de acordo com ele, as pessoas terão que conviver por muito tempo.

No início deste mês, Solomon disse que a economia estava “seguindo muito bem,” embora ele tenha alertado em março que a inflação provavelmente seria mais persistente do que os mercados anteciparam.

A equipe de economistas do Goldman, em abril, disse que esperava apenas dois cortes este ano, com o primeiro movimento ocorrendo em julho, seguido por outro em novembro.

Banco não tem uma visão única sobre o cenário para corte de jurosdfd

Isso é uma revisão de suas previsões anteriores e reflete a dificuldade mais ampla dos analistas em prever o caminho do Fed após a primeira grande onda de inflação em quatro décadas.

PUBLICIDADE

O presidente do Goldman, John Waldron, disse que há muito debate dentro da empresa sobre o ritmo dos cortes, com aqueles que falam com clientes sendo mais cautelosos.

O banco não tem uma visão única, afirmou na quarta-feira em uma conferência do Investment Company Institute em Washington.

“Acho que muitos de nós que estamos mais no lado prático e falamos com muitos clientes, CEOs e outros, somos mais cautelosos sobre se o Fed realmente pode agir tão cedo,” disse. “Parece haver mais inflação no sistema.”

Os bancos centrais europeus são mais propensos a fazer cortes nas taxas de juros este ano, devido à lentidão e às “questões demográficas estruturais” nessa economia, disse Solomon. A economia da China está “definitivamente lutando,” disse. “Parece lento e estagnado ao redor do mundo.”

Retorno ao escritório

Solomon também discutiu o valor de retornar aos hábitos de escritório pré-pandemia, especialmente para os funcionários mais jovens que ainda estão aprendendo o negócio.

Cerca de metade dos funcionários da empresa estão na casa dos 20 anos e “vêm para a empresa com o propósito explícito de aprender com outras pessoas,” disse Solomon. “Isso não acontece da mesma forma quando eles não estão juntos.”

Embora muitos líderes corporativos tenham assumido posições públicas sobre questões sociais e políticas nos últimos anos, Solomon disse que não vê isso como parte de seu trabalho como CEO do Goldman.

“Isso se tornou cada vez mais complicado,” disse. “Você pode escolher qualquer questão e sempre haverá muitas pessoas do Goldman Sachs em ambos os lados.”

Veja mais em bloomberg.com