Morgan Stanley tem novo chefe de wealth à frente de gestão de US$ 4,8 trilhões

Jed Finn foi nomeado chefe da divisão de gestão de patrimônio do banco de investimento, acompanhando mudanças na liderança do gigante de Wall Street

Sede do Morgan Stanley, em Nova York
Por Sridhar Natarajan
20 de Novembro, 2023 | 02:56 PM

Bloomberg — O Morgan Stanley (MS) nomeou Jed Finn como chefe da divisão de gestão de patrimônio - wealth management - com US$ 4,8 trilhões sob gestão, o que significa a supervisão da unidade de negócios que mais gera receita para o banco de Wall Street.

A mudança faz parte da reformulação da equipe de liderança do copresidente Andy Saperstein para as divisões de gestão de investimentos do banco. Finn, de 45 anos, é um executivo próximo de Saperstein desde que ingressou na empresa financeira em 2011.

Jacques Chappuis, de 54 anos, e Ben Huneke, de 51 anos, se tornarão cochefes de gestão de investimentos, também se reportando a Saperstein, de acordo com um memorando interno visto pela Bloomberg News.

Chappuis é atualmente chefe global de distribuição e co-chefe do grupo de soluções e multiativos. Huneke é chefe do grupo de soluções de investimento.

PUBLICIDADE

Saperstein recebeu a supervisão de gestão de patrimônio e investimentos como parte da movimentação que viu Ted Pick ser nomeado o próximo CEO do Morgan Stanley.

Essas duas divisões cresceram significativamente na última década e produziram cerca de 57% da receita da empresa nos primeiros nove meses deste ano. Juntas, elas são responsáveis por gerenciar um total de US$ 6,2 trilhões em ativos de clientes.

Quem é Jed Finn, do Morgan Stanley

Jed Finn ocupou vários cargos de liderança nos últimos 12 anos. Cidadão canadense e americano, formou-se em economia e ciência da computação pela Universidade McGill em Montreal.

PUBLICIDADE

Finn, como Saperstein e o CEO James Gorman, foi anteriormente executivo da consultoria McKinsey. Ele esteve envolvido em ajudar a integrar o negócio de corretagem Smith Barney que o Morgan Stanley comprou do Citigroup (C).

Mais recentemente, Finn e Saperstein fecharam um acordo para comprar a Solium Capital, uma empresa de software que gerencia opções de ações de funcionários.

A aquisição, inicialmente vista com ceticismo por seu alto preço, agora é vista dentro do banco como um sucesso, ajudando a manter empresários em empresas privadas e executivos em empresas públicas dentro do ecossistema de gestão de patrimônio do Morgan Stanley.

Veja mais em Bloomberg.com

Leia também

Riverwood, que investe em startups no Brasil, capta US$ 1,8 bilhão para fundo global

Casas de até R$ 300 milhões: os preços em condomínios de luxo no interior de SP