Rodadas da semana: startups de software e saúde recebem aportes

As startups brasileiras Digibee e Sami receberam investimento a valuations maiores e estão entre os destaques de financiamento de VC da semana

Indústria de software continua a atrair investimento de fundos de venture capital (Foto: Chris Ratcliffe/Bloomberg)
03 de Junho, 2023 | 07:45 AM

Bloomberg Línea — Startups que atuam nos segmentos de saúde, educação e software foram destaques entre as empresas que receberam aportes nesta semana: Digibee, Sami e Academy Abroad.

A empresa de software Digibee captou em uma rodada Série B de pouco mais de US$ 60 milhões, com valuation maior do que o anterior, liderada pelo Goldman Sachs (GS).

A Sami, startup de planos de saúde voltada para micro e pequenas empresas, recebeu uma rodada de investimentos de US$ 18 milhões (cerca de R$ 90 milhões) liderada pela Redpoint eventures e pela Mundi Ventures, também com aumento de valuation (up round), segundo os fundadores.

As duas rodadas fogem do que tem se tornado um padrão no mercado de startups.

PUBLICIDADE

Segundo um novo estudo da McKinsey, houve uma redução de 30% no valor nos portfólios de fundos de capital de risco para empresas da América Latina no ano passado e 33% das startups tiveram um down round (rodada a um valuation mais baixo do que o da captação anterior).

Por outro lado, segundo dados da Carta, uma plataforma americana de gestão de ativos utilizada por investidores e empreendedores, de abril até 31 de maio de 2023, os valuations de Seeds para startups americanas ficaram estáveis (flat rounds), com aportes menores.

Para Séries A, os valuations também ficaram estáveis, com tamanho de rodada também estáveis. Já para as Séries B, tanto os valuations quanto os cheques foram maiores em relação ao último trimestre.

PUBLICIDADE

Para Séries C, contudo, os valuations seguem em queda - ou seja, para startups em estágios mais avançados.

Veja as startups que captaram nesta semana:

Digibee

A startup brasileira Digibee anunciou na terça-feira (30) que recebeu um aporte de pouco mais de US$ 60 milhões do Goldman Sachs (GS) em rodada Série B. O investimento foi oversubscribed, ou seja, com maior demanda do que oferta. A maior parte do dinheiro vai para o caixa da empresa, mas também houve liquidez para investidores de estágios iniciais em oferta secundária.

O aporte também teve participação do K Fund, gestora da Europa que investiu pela primeira vez na América Latina, da Vivo Ventures, braço de investimentos da Vivo, e das gestoras brasileiras Kinea, do Itaú, e G2D Investments, que já eram investidoras e acompanharam a rodada para não serem diluídas.

Sami

A Sami, startup de planos de saúde que mira o atendimento de funcionários de micro e pequenas empresas, anunciou nesta quinta-feira (1) que recebeu uma rodada de investimentos de US$ 18 milhões (cerca de R$ 90 milhões), liderada pela Redpoint eventures e pela Mundi Ventures.

“Acabamos levantando mais capital do que imaginávamos no começo”, disse o médico Vitor Asseituno, co-fundador da startup, em entrevista à Bloomberg Línea. A rodada pretende criar condições para que a Sami se aproxime do breakeven (ponto de equilíbrio financeiro) “provavelmente no ano que vem”.

O Redpoint eventures já tinha participado do Seed da Sami, enquanto a Mundi Ventures é um novo investidor para a startup - trata-se de um fundo espanhol com foco em startups do setor de seguros. A rodada fornecerá capital de giro para sustentar o crescimento da Sami, além de investimentos em tecnologia e melhorias na experiência do cliente.

PUBLICIDADE

Academy Abroad

A startup brasileira Academy Abroad busca ajudar profissionais no impulsionamento de carreira e na internacionalização. A empresa recebeu aporte de R$ 400 mil que elevou seu valuation para R$ 10 milhões.

Em 2021, seu primeiro ano de operação, a empresa faturou R$ 167 mil, saltando para R$ 358 mil em 2022. Neste ano, a startup estima faturar entre R$ 2 milhões e R$ 3 milhões, com a reestruturação da plataforma, o desenvolvimento da tecnologia e lançamento de um novo produto.

A empresa também é investida do médico e executivo Roger Daglius Dias, professor e pesquisador da Universidade Harvard, e do investidor seriado Ramon Maia, atual CEO da UAUBox e com passagem como executivo em empresas como C&A, Conexa e Grupo Pão de Açúcar.

A plataforma foi relançada em maio de 2023 com 45 mentores, com destaque para professores de Harvard, Stanford, Yale e NYU. A startup tem expectativa de atingir o número de 150 mentores cadastrados até o final do ano e de possuir ao menos 50 cursos que abordem temas como carreira, currículo, intercâmbio, idiomas e oratória, impactando cerca de 15 mil alunos e mentorados ainda em 2023.

PUBLICIDADE

Leia também

Rodadas da semana: startup investida por Sabrina Sato e Luciano Huck tem aporte

No inverno das startups, Solfácil tem primeiro lucro e recusa ofertas de venda

Isabela  Fleischmann

Jornalista brasileira especializada na cobertura de tecnologia, inovação e startups