Negócios

Arezzo vai na contramão do varejo, abre lojas e elege Oscar Freire como QG

Grupo liderado por Alexandre Birman busca melhorar margens com sinergias das aquisições e aposta em nova Schutz em NY e megaloja da Anacapri nos Jardins; já são 8 lojas na região

Futura megaloja da Anacapri, marca da Arezzo, na rua Oscar Freire, em São Paulo: local abrigará áreas de P&D, marketing e vendas, hoje no prédio da sede na Berrini (Foto: Sergio Ripardo/Bloomberg)
22 de Maio, 2023 | 04:45 AM

Bloomberg Línea — Dona de 22 marcas, ou uma House of Brands, como se autodefine, a Arezzo (ARZZ3) tem como alguns de seus próximos objetivos melhorar as suas margens no segundo semestre, em busca de capturas de sinergias de seu último ciclo de aquisições, além de avançar com seu plano de internacionalização, com foco nos Estados Unidos.

No mercado doméstico, a marca Anacapri ganha relevância na estratégia, com a inauguração prevista até setembro de uma megaloja na Oscar Freire, no corredor de marcas de luxo nos Jardins, em São Paulo, que servirá também como uma espécie de QG (uma sede) para áreas de criação e marketing do grupo.

Nos EUA, o grupo comandado por Alexandre Birman se diz otimista com os primeiros números de vendas da nova unidade da marca Schutz, recém-aberta no Soho, em Nova York.

LEIA +
Arezzo compra marca italiana e mira ser plataforma global de calçados de luxo

“Estamos apostando em um novo modelo de loja da Schutz nos EUA, com lounge, bar, área de fotos, que vende também vestuário. Em seis dias de operação, já vendeu quatro vezes mais do que a flagship store da Madison Avenue”, disse Birman no evento Pulsar na Bienal do Parque Ibirapuera na última semana, quando reuniu mais de 1.200 lojistas multimarcas para apresentar a coleção verão 2024.

PUBLICIDADE

O empresário, um dos cinco filhos do fundador da Arezzo, Anderson Birman, tem também se envolvido na antecipação do processo sucessório. Neste mês, o pai oficializou a doação de sua participação acionária de 28,1% aos filhos. O CEO do grupo aproveitou o evento para apresentar seu novo conselheiro do comitê de estratégico, o designer e empresário Tufi Duek, que está prestes a completar 69 anos. Ele foi o criador de marcas como Triton, Forum e Tufi Duek.

“Tufi tem a idade do meu pai. Tenho grande admiração por Tufi, que tem mais de 50 anos de moda. Ele será meu mentor pessoal. Sou um eterno aprendiz”, afirmou Birman, 46 anos.

A chegada de Duek como membro independente do conselho coincide com outra novidade na gestão do grupo: a nomeação de Alexandre Brett, da família fundadora da Vila Romana (vendida em 2010 para a InBrands), que começou produzindo ternos Pierre Cardin na fábrica da Lapa, na zona oeste de São Paulo. Como executivo, Brett vai liderar a integração das marcas e do licenciamento da Arezzo.

PUBLICIDADE
LEIA +
Grendene avança no exterior com receita que vai da 3G de Lemann a influencers

A companhia dona das marcas Arezzo, Schutz, Reserva, Anacapri, Alexandre Birman, Fiever, Alme, BriZza e Vans (no Brasil), entre outras, comprou recentemente a marca de calçados femininos Vicenza por R$ 173 milhões e a italiana Paris Texas, sua última investida de fôlego no mercado internacional - neste caso, pagou 25 milhões de euros pelo equivalente a 65% do capital da empresa.

“Precisamos integrar essas novas marcas, respeitando seu DNA, sem desfigurá-las”, afirmou o CFO da Arezzo, Rafael Sachete, que disse esperar capturar mais sinergias com as operações de M&A realizadas nos últimos anos, além de promover a expansão das novas marcas.

Estratégia nos EUA

No mercado americano, a Arezzo aposta nas marcas Schutz (que responde por 60% da receita internacional do grupo e atua com produtos na faixa de preço de US$ 120 por unidade) e Alexandre Birman (outros 40%, com faixa de preço de US$ 500). A operação nos EUA responde por 10% da receita total do grupo, o que representa cerca de US$ 100 milhões por ano, segundo o CFO.

No segundo semestre, o foco é crescer muito nos EUA também com a Paris Texas, que vai contar com nossa estrutura do time de vendas, de logística e de e-commerce, e com a entrada da marca Arezzo, conectando com as grandes redes de departamento”, acrescentou Sachete. Ele descartou, por enquanto, uma investida em outros mercados, como o europeu e o asiático.

O papel de Duek será criar um lifestyle para o novo modelo de loja das marcas da Arezzo, incorporando também vestuário. “A Prada vende mais sapato do que roupa. Na Arezzo, a indumentária será um acessório para o sapato, ou seja, a roupa que combina com o sapato”, exemplificou o designer, que vai atuar nos bastidores, sem plano de lançar uma coleção para o grupo.

Anacapri e QG nos Jardins

No mercado brasileiro, um dos principais objetivos de expansão para a Arezzo no segundo semestre é inaugurar a “Casa Anacapri” na Oscar Freire, quase esquina com a rua Doutor Melo Alves, no espaço que foi ocupado por muito anos pela Le Lis Blanc, do grupo Veste (ex-Restoque).

O local está cercado de tapume, com as obras em andamento. Faz algum tempo, a Arezzo passou a concentrar lojas de suas marcas na rua mais famosa do país - e nas adjacentes - para o segmento de moda de alto padrão.

PUBLICIDADE

Em um trecho de quatro quadras, entre as ruas Melo Alves e Augusta, a Arezzo tem pelo menos oito lojas de oito diferentes marcas: Arezzo (a mais longeva de todas, desde o início da década de 1990), Anacapri (hoje perto da Bela Cintra antes da mudança para a mega loja), Schutz, Alme, Reserva, Oficina Reserva (na rua da Consolação) e Alexandre Birman e Carol Bassi (ambas na Haddock Lobo, no Shops Jardins). A Fiever teve unidade na Oscar Freire até pouco tempo atrás.

A estratégia da Arezzo na Oscar Freire contrasta com o de outros grupos de moda como a Guararapes, que fechou neste mês a flagship da Riachuelo e promete reabrir em outro ponto da cidade. A incorporadora Tegra também fechou um ponto na rua recentemente, e a Galeria Oscar Freire, outro ponto tradicional da moda na região, também encerrou atividades, e o imóvel foi demolido.

A Casa Anacapri não vai ser só uma loja, mas concentrará também os times de P&D (Pesquisa e Desenvolvimento de produtos), de marketing e de vendas, que hoje ficam em nosso prédio na Berrini [avenida do Brooklin, um bairro da zona sul da capital]”, explicou o CFO.

Antes de tapume exibir a imagem da garota-propaganda da Anacapri, a vencedora da 21ª edição do reality show BBB (Big Brother Brasil), a cantora, apresentadora e influencer Juliette, o local anunciava que a loja seria da Schutz, cuja unidade atual na Oscar Freire fica a uma quadra.

PUBLICIDADE

O CFO explicou que o grupo recorre à análise de dados de endereço de seus clientes na hora de definir qual marca vai ocupar uma nova loja, buscando a proximidade com suas clientes. “A web nos ajuda muito para definir onde vender em cada CEP do país e onde estão nossas consumidoras”, afirmou.

Na Flórida, a Arezzo tem uma unidade da Schutz no Aventura Mall, centro comercial de marcas de luxo em Miami. Birman disse que primeiramente a companhia vai consolidar o novo modelo de lojas em Nova York, antes de implantá-lo em outras cidades americanas.

- Matéria atualizada às 14h30 de terça-feira (23 de maio) com o número de marcas da Arezzo.

Leia também

PUBLICIDADE

Como a JBS prepara a sucessão com a família Batista de volta ao comando

CEO da Arezzo: recorde de vendas no 2º tri com força de influência digital

Sérgio Ripardo

Sérgio Ripardo

Jornalista brasileiro com mais de 25 anos de experiência, com passagem por sites de alcance nacional como Folha e R7, cobrindo indicadores econômicos, mercado financeiro e companhias abertas.