Empresas tentam atrair trabalhadores da geração Z com sextas mais curtas

Empresas de médio a grande porte passam a oferecer a Short Friday como fator de atração a profissionais com menos de 25 anos

Sair mais cedo do trabalho às sextas para atividades como ir à praia (para quem mora em cidades litorâneas) é valorizado por profissionais da geração Z (Angel Garcia/Bloomberg)
Por Olivia Fletcher e Philip Aldrick
06 de Abril, 2023 | 06:08 PM

Bloomberg — Empregadores do Reino Unido, desesperados para recrutar e reter trabalhadores da Geração Z (ou seja, com 25 anos ou menos), estão cada vez mais oferecendo sextas-feiras mais curtas em uma tentativa de preencher as vagas em um momento de escassez de pessoal.

O portal de empregos online Adzuna registrou um aumento acentuado em postagens que oferecem jornadas mais curtas na sexta, o que significa que os trabalhadores podem começar seus fins de semana algumas horas antes. É a chamada short Friday.

Havia 1.426 anúncios de emprego no site que citavam “terminar cedo na sexta-feira” em março, em comparação com 583 no mesmo mês cinco anos antes - antes que a pandemia da covid-19 afetasse a vida profissional. Um aumento de cerca de 150% nesse período.

Empregadores tentam atrair candidatos para trabalhar oferecendo um início antecipado do fim de semana
dfd

O benefício parece ser direcionado a funcionários juniores, em cargos com salários anuais entre £ 20.000 (cerca de R$ 125 mil) e £ 40.000 (R$ 250 mil), de acordo com dados da Adzuna fornecidos à Bloomberg News. Ou seja, são cargos com salários mensais de R$ 10 mil a R$ 20 mil.

PUBLICIDADE

E é mais frequente em certos setores, com os anúncios da Adzuna mostrando 348 empregos com sexta mais curta em engenharia em 3 de abril. Havia 207 benefícios semelhantes oferecidos para empregos de vendas, 156 em funções de tecnologia da informação e 90 para cargos de pós-graduação.

Andrew Hunter, cofundador da Adzuna, disse que a mudança reflete o fato de que os funcionários estão “exigindo mais” dos empregadores após a pandemia.

Não é só a sexta-feira

“Para os candidatos a emprego, uma empresa que oferece sextas-feiras antecipadas sinaliza que eles são flexíveis em sua atitude em relação ao horário de trabalho e se preocupam com o bem-estar de seus funcionários — dois fatores de extrema importância no mercado de trabalho atual”, disse Hunter em um comunicado por e-mail.

PUBLICIDADE

Os empregadores que oferecem o benefício incluem várias empresas de médio a grande porte. O fornecedor de moda DCK Group inclui o início antecipado do fim de semana em sua lista de benefícios para um cargo de pós-graduação em merchandising. A empresa aeroespacial Raytheon Technologies Corp está oferecendo a vantagem em um anúncio de emprego para gerente de contratos.

As empresas estão testando uma variedade de medidas, incluindo uma semana de trabalho de quatro dias, para atrair funcionários diante do número recorde de vagas não ocupadas.

Emma, uma funcionária de 21 anos de uma gravadora em Londres, cujo empregador planeja relaxar o horário de trabalho na sexta durante os meses de verão (no hemisfério Norte) de julho e agosto, disse que está animada com a ideia de terminar mais cedo e aproveitar o clima melhor.

Uma redução formal — ainda que temporária — das horas de trabalho também significa que os funcionários podem tirar um dia extra de folga ao reservar férias e isso contará apenas como meio-dia a ser descontado, disse Emma, que não quis usar seu nome completo ao falar sobre seu empregador.

Os cinco principais setores que oferecem o benefício se inclinam para anúncios de emprego com a Geração Z em mente
dfd

No entanto as tentativas de mexer nos termos e nas condições ainda não foram suficientes para aliviar o problema de escassez de mão-de-obra no Reino Unido.

Há 216 mil pessoas a menos em idade ativa na força de trabalho do que antes da pandemia, tornando a Grã-Bretanha a única economia do G7 (Grupo dos Sete) que não se recuperou aos níveis pré-covid.

Em seu discurso sobre o orçamento no mês passado, o chanceler do Tesouro, Jeremy Hunt, removeu o subsídio vitalício das pensões do Reino Unido em um esforço para atrair trabalhadores mais velhos de volta ao mercado de trabalho, uma medida que beneficiará alguns dos poupadores mais ricos do país.

PUBLICIDADE

Alguns continuam céticos quanto ao valor de usar benefícios para atrair funcionários mais jovens. “Em algum momento, você estará fazendo coisas de que não gosta”, escreveu recentemente Lewis Kemp, da Lightbulb Media, com sede em Manchester, no LinkedIn. “Ser confiável, respeitado e pago adequadamente vale muito mais do que pizzas, feriados e ‘terminar as sextas-feiras mais cedo’.”

Veja mais em Bloomberg.com

Leia também

Não era amor? Casais da geração Z estão morando juntos para economizar

PUBLICIDADE

Ivy League: quanto custa estudar nas universidades mais respeitadas dos EUA?

Alugar ou comprar o primeiro imóvel? O que vale mais a pena para os jovens