Metade dos passageiros da China que chegam a Milão tem covid

Chefe de saúde da região disse que as autoridades aeroportuárias testaram os passageiros que chegaram em dois voos, um de Pequim e outro de Xangai

Após os resultados dos passageiros, a Itália ordenou testes obrigatórios para todos os passageiros em voos da China para a Itália
Por Tommaso Ebhardt
28 de Dezembro, 2022 | 01:30 PM

Leia esta notícia em

Espanhol

Bloomberg — As autoridades de saúde de Milão disseram que quase metade dos passageiros em dois voos da China deram positivo para covid.

O chefe de saúde da região de Milão disse em entrevista coletiva na quarta-feira que as autoridades aeroportuárias testaram os passageiros que chegaram em dois voos, um de Pequim e outro de Xangai. A China tem visto surtos desde que o governo abandonou suas políticas estritas de Covid Zero.

Após os resultados dos passageiros, a Itália ordenou testes obrigatórios para todos os passageiros em voos da China para a Itália.

O país agora está sequenciando esses testes para ver se há novas variantes vindas da China, disse o Ministério da Saúde em comunicado. Se uma nova cepa for encontrada, as autoridades podem impor restrições mais rígidas às viagens da China.

PUBLICIDADE

Na Alemanha, as autoridades de saúde estão “observando de perto” a situação na China, segundo o porta-voz do Ministério da Saúde, Sebastian Guelde.

“Não temos indicação de que uma mutação mais perigosa tenha se desenvolvido na China, o que daria origem a uma declaração de uma área variante do vírus e resultaria em restrições de viagem correspondentes”, acrescentou.

Embora o alto índice de passageiros com o vírus tenha colocado as autoridades em alerta, um fator a favor da Itália é o alto índice de vacinação. Mais de 80% das pessoas estão totalmente imunizadas, de acordo com a Organização Mundial da Saúde, e muitas também receberam doses de reforço.

PUBLICIDADE

Veja mais em Bloomberg.com

Leia também

De ativos do metaverso ao colapso da FTX: a visão do BTG para crescer em cripto