O plano da Volkswagen para financiar escolas de programação no Brasil e no México

Montadora alemã considera incentivar programas de formação em tecnologia como parte de uma estratégia para lidar com a escassez de trabalhadores qualificados

Montadora precisa de programadores para iniciativas de carros elétricos
Por Monica Raymunt
03 de Dezembro, 2022 | 04:46 PM

Leia esta notícia em

Inglês ou emEspanhol

Bloomberg — A montadora alemã Volkswagen considera financiar escolas de programação no México e no Brasil como parte de sua estratégia para recrutar funcionários experientes em software.

A montadora já apoia instituições semelhantes na República Tcheca e na Alemanha - incluindo em Berlim e perto de sua sede em Wolfsburg - e agora avalia a expansão do programa para outros países, disse Gunnar Kilian, membro do conselho encarregado de recursos humanos.

Operadas pela organização sem fins lucrativos francesa 42, as instituições de ensino de software não cobram mensalidades e usam um processo de aprendizado colaborativo e gamificado. A Microsoft (MSFT) e o Google (GOOG), da Alphabet, também apoiam as escolas.

A Alemanha está sob pressão para lidar com a escassez de trabalhadores qualificados, agravada pelo envelhecimento da população e por um sistema educacional abaixo da média.

PUBLICIDADE
LEIA +
Por que os americanos estão desistindo de vender imóveis em número recorde

A escassez de programadores é especialmente problemática para a indústria automobilística do país, já que aumentar a produção de veículos elétricos depende de plataformas de software e recursos digitais.

“Temos uma grande necessidade de trabalhadores qualificados no setor de TI (tecnologia da informação) na Alemanha”, disse Kilian em entrevista. “Precisamos trabalhar juntos para atender a essa demanda.”

A maior montadora da Europa está tentando colocar sua tecnologia de volta nos trilhos depois que problemas no desenvolvimento de software em sua unidade Cariad atrasaram vários modelos, incluindo o importante Porsche elétrico Macan. A Cariad fará parte de um empreendimento de direção autônoma na China e contratou cerca de 1.500 programadores este ano, disse Kilian.

PUBLICIDADE

Veja mais em Bloomberg.com

Leia também

Bancos de Wall Street devem cortar bônus em até 30% com a queda do mercado