Minério de ferro afunda em mais longa série de perdas semanais desde 2014

Matéria-prima siderúrgica afundou mais de 10% nesta semana e chegou a ser negociada a US$ 78.80 a tonelada em Singapura na sexta-feira

A demanda mundial por aço também diminui com o aperto monetária nos países industrializados e a crise energética na Europa
Por Annie Lee
28 de Outubro, 2022 | 08:30 AM

Bloomberg — O minério de ferro caiu pela sétima semana consecutiva, a sequência mais longa desde 2014, diante de perspectivas ruins para a demanda global de aço.

A matéria-prima siderúrgica afundou mais de 10% nesta semana e chegou a ser negociada a US$ 78.80 a tonelada em Singapura na sexta-feira, a cotação mais baixa em mais de dois anos e menos da metade do pico de US$ 171 em março.

O minério sofre com a crise prolongada no setor imobiliário da China e as restrições contra Covid do país, que continuam a prejudicar o consumo de aço. Os estoques da liga voltaram a crescer.

A demanda mundial por aço também diminui com o aperto monetária nos países industrializados e a crise energética na Europa.

PUBLICIDADE

O mercado se prepara para possíveis cortes de produção durante o inverno na China, que também enfrenta problemas de energia, e os estoques de minério de ferro devem aumentar, segundo a Yongan Futures. As siderúrgicas também enfrentam baixa lucratividade, disse a corretora.

A Baoshan Iron & Steel, maior siderúrgica do mundo, esta semana divulgou uma perspectiva pessimista para o setor na China, com previsão de que a demanda no país pode cair 5% este ano.

Veja mais em bloomberg.com

PUBLICIDADE

Leia também

Apple diz que dólar forte impactou resultado em emergentes. Entenda