Mercados

O conselho de Buffett na crise: compre na baixa. E é o que ele está fazendo

Berkshire Hathaway reverte estratégia de 2021 e se torna compradora líquida de ações no 2º tri; holding tem perda motivada por desvalorização de ativos

Warren Buffett, um dos maiores investidores de todos os tempos, completa 92 anos no próximo dia 30 de agosto
Por Max Reyes
06 de Agosto, 2022 | 04:59 pm
Tempo de leitura: 3 minutos

Bloomberg — A Berkshire Hathaway (BRK/A), de Warren Buffett, está seguindo uma conhecida máxima de mercado neste momento de queda nos preços das ações: buy the dip. Ou seja, compre na baixa.

A holding de investimentos do Oráculo de Omaha foi uma compradora líquida (compras menos vendas) de ações no segundo trimestre, no valor somado de US$ 3,8 bilhões, de acordo com resultados divulgados neste sábado (6).

Trata-se de um comportamento oposto ao de um ano atrás, em que a Berkshire havia mais vendido ações do que comprado. A Berkshire foi às compras enquanto o S&P 500 caiu 16% no último trimestre.

A empresa com sede em Omaha, no estado de Nebraska, também divulgou um lucro operacional de US$ 9,2 bilhões, com os negócios de seguros e ferrovias registrando ganhos.

PUBLICIDADE

Buffett é considerado um dos mais bem-sucedidos investidores de todos os tempos. Aos 91 anos - completa 92 anos no próximo dia 30 -, tem um patrimônio estimado em US$ 102 bilhões, de acordo com o Bloomberg Billionaire Index.

Cathy Seifert, analista da CFRA Research, disse, no entanto, que um negócio que está dando sinais de alerta em potencial é a Geico, a unidade de seguro pessoal de automóvel. A seguradora relatou uma perda de US$ 487 milhões, ainda que outras linhas de seguro tenham ganhado junto com a divisão.

Mas Seifert disse que o resultado como um todo reflete um “crescimento decente de receita, demanda ainda decente por vários bens e serviços, compensada por custos mais altos de insumos e volatilidade nos mercados de ações”.

A Berkshire disse que as perdas na Geico foram resultado de sinistros mais elevados devido ao aumento dos preços dos carros usados e à escassez de autopeças para os consertos.

PUBLICIDADE

A empresa disse que as apólices em vigor caíram mesmo com o aumento dos prêmios, um sinal potencial de que a empresa está perdendo participação de mercado à medida que os clientes buscam melhores taxas em outros lugares.

“Eles estão em uma situação um pouco difícil agora”, disse Seifert, acrescentando que as mesmas tendências estão ocorrendo em outras seguradoras de automóveis, mas parecem estar afetando particularmente a Geico. “Provavelmente é uma boa ideia ficar de olho em mais deterioração.”

A mesma fraqueza de mercado que aumenta o poder de compra de Buffett está pesando nos resultados de sua empresa, pelo menos no papel. A empresa reportou um prejuízo líquido de US$ 43,8 bilhões devido a uma perda de US$ 53 bilhões no portfólio de investimentos da empresa.

A Berkshire minimiza esses resultados em razão das regras contábeis, dizendo que eles fornecem uma imagem enganosa do desempenho atual da empresa.

O que a Bloomberg Intelligence disse sobre o resultado:

“A Berkshire foi uma compradora líquida de ações no segundo trimestre em US$ 3,8 bilhões, ou US$ 45,2 bilhões em 2022, vs. US$ 16 bilhões em vendas líquidas em 2020-2021. Nós achamos que isso pode continuar e não necessariamente indica que Buffett está pessimista com suas próprias ações; as recompras têm sido historicamente um uso de capital de menor prioridade. As recompras de US$ 1 bilhão no segundo trimestre caíram em relação ao ritmo de 2021 de cerca de US$ 7 bilhões por trimestre”, disse Matthew Palazola, analista sênior do setor de seguros da Bloomberg Intelligence.

PUBLICIDADE

A Bloomberg News calculou as compras líquidas subtraindo os números do primeiro trimestre do total do primeiro semestre.

O apetite de Buffett por suas próprias ações diminuiu ainda que ele tenha adquirido ações em outros lugares. As recompras de ações atingiram US$ 1 bilhão no segundo trimestre, abaixo dos US$ 3,2 bilhões em recompras no início do ano.

A empresa também informou que a Berkshire Hathaway Energy adquiriu US$ 870 milhões em ações ordinárias do vice-presidente Greg Abel em junho. A transação não foi divulgada anteriormente.

Apesar da onda de gastos, a Berkshire fez apenas um leve arranhão no caminhão de dinheiro que tem em caixa. A empresa reportou US$ 105,4 bilhões no fim de junho, quase o mesmo que os US$ 106 bilhões no fim do primeiro trimestre.

PUBLICIDADE

O ritmo agressivo com o qual a Berkshire adquiriu ações da Occidental Petroleum levantou dúvidas sobre se a Berkshire pretende fazer uma aquisição da gigante de energia. Mas a empresa não forneceu informações sobre sua estratégia no registro regulatório na SEC relativo ao trimestre.

Veja mais em Bloomberg.com

Leia também

Buffett, é você? Ação de chinesa BYD despenca sob temor de saída de bilionário

Recessão é inevitável e juro alto ficará por mais tempo, diz Lawrence Summers

PUBLICIDADE