Mercados

Nova pesquisa eleitoral e outros 4 assuntos do Brasil e do mundo

Confira os principais tópicos que vão marcar o sentimento dos mercados nesta quarta-feira (3)

Diferença entre Lula e Bolsonaro diminui, aponta pesquisa Genial/Quaest, divulgada na manhã desta quarta-feira (3)
03 de Agosto, 2022 | 09:43 am
Tempo de leitura: 3 minutos

Bloomberg Línea — O dia começa com investidores ainda digerindo a visita da presidente da Câmara dos EUA, Nancy Pelosi, a Taiwan, o que adiciona mais um elemento de tensão no horizonte dos investidores. No cenário local, destaque para a reunião do Comitê de Política Monetária que definirá, ainda hoje, a nova taxa básica de juros. O dia reserva também reunião dos membros da Opep+ que definirá a produção de petróleo para o mês de setembro, além de indicadores econômicos e resultados corporativos.

Veja as outras notícias que devem impactar os mercados nesta quarta-feira:

1. Eleições

A diferença entre as intenções de voto no ex-presidente Lula, do PT, e no presidente Jair Bolsonaro, do PL, chegou a 12 pontos percentuais em agosto, de acordo com a pesquisa Genial/Quaest divulgada na manhã de hoje. Essa diferença era de 14 pontos na pesquisa anterior.

Esta é a menor distância desde julho de 2021, quando a Quaest começou a realizar pesquisas para as eleições deste ano. O ex-presidente chegou a 44% das intenções de voto, e o atual presidente, a 32%. A distância de 12 pontos entre os candidatos que lideram as pesquisas de intenção de voto é verificada a cerca de dois meses do primeiro turno das eleições.

PUBLICIDADE

A Quaest afirma ainda que os resultados apontam para uma recuperação do presidente. No entanto, contando apenas os votos válidos, Lula ganharia a eleição hoje no primeiro turno, com 51% dos votos.

2. EUA-China

A presidente da Câmara dos Representantes dos EUA, Nancy Pelosi, fez um discurso durante sua visita a Taiwan e prometeu que seu país não abandonará a ilha localizada na Ásia Oriental. “A determinação dos Estados Unidos de preservar a democracia aqui em Taiwan e em todo o mundo continua firme”, disse Pelosi.

Seu avião deixou Taipei, capital de Taiwan, por volta das 7h, no horário de Brasília. A China, que considera Taiwan parte de seu território, anunciou testes de mísseis e exercícios militares ao redor da ilha depois da visita de Pelosi. Além disso, como retaliação, a China também impôs algumas sanções comerciais: suspendeu, por exemplo, exportações de areia natural para Taiwan e algumas importações de peixes e frutas da ilha.

3. Mercados

Embora o mercado tenha mais um elemento de tensão no horizonte, os futuros americanos operam em terreno positivo na manhã de hoje, assim como as bolsas europeias. Com isso, é esperado que o Ibovespa acompanhe o tom positivo que prevalece nos mercados.

PUBLICIDADE

Nos Estados Unidos, os futuros do Dow Jones, Nasdaq e S&P subiam 0,37%, 0,40% e 0,41%, respectivamente, com os investidores tentando aproveitar os preços atrativos depois de duas sessões consecutivas de perdas. Ainda assim, fica no radar o temor de que a visita de Pelosi a Taiwan possa prejudicar ainda mais as já tensas relações entre os Estados Unidos e a China. Enquanto isso, o Dollar Index, que compara a moeda americana com uma cesta de outras moedas, recuava 0,04% às 8h50.

4. Manchetes do dia

  • Estadão: TSE monta estratégia anti-hacker após alerta de ataques nas eleições
  • Folha de S. Paulo: Cidades de Lula e Bolsonaro têm divisão eleitoral com jeito próprio
  • O Globo: Número de brasileiros deportados dos EUA no primeiro semestre bate recorde
  • Valor: Dúvidas sobre cenário e gestão fiscal nublam horizonte para 2023

5. Agenda

O Comitê de Política Monetária (Copom) anuncia hoje, por volta das 18h, sua decisão sobre a condução da política monetária. Pode ser o fim do ciclo de alta da taxa básica de juros e espera-se uma alta de 0,50 ponto percentual, o que elevaria a Selic a 13,75%. Também por aqui, saem os dados, ainda pela manhã, do PMI, o índice de atividade econômica composto e do setor de serviços.

Lá fora, destaque também para os indicadores PMI dos Estados Unidos, Zona do Euro, Alemanha, França, Reino Unido, Itália e Espanha. Na agenda de resultados corporativos, são esperados os números da AXA, Maersk, CVS Health, Just Eat, Regeneron, Nintendo, BMW, Vonovia, Moderna, Booking, Fortinet, eBay, Telecom Italia e Robinhood.

E também...

Os países que formam a Organização dos Países Exportadores de Petróleo e aliados, a Opep+, se reúnem hoje para definir a política de produção para o mês de setembro. Especialistas deste mercado veem pouca probabilidade de que o cartel responda ao chamado do presidente dos EUA, Joe Biden, para aumentar a oferta de petróleo. Os preços do petróleo tipo Brent subiam 1,21%, a US$ 101,77 o barril, assim como o petróleo tipo WTI, alta de 1,80%, a US$ 96,13 o barril, depois de registrarem queda no começo da manhã de hoje.

--Com informações da Bloomberg News

Leia também

Mercados de olho em barganhas, mas operam voláteis com tensão geopolítica

Melina Flynn

Melina Flynn

Melina Flynn é jornalista naturalizada brasileira, estudou Artes Cênicas e Comunicação Social, e passou por veículos como G1, RBS TV e TC, plataforma de inteligência de mercado, onde se especializou em política e economia, e hoje coordena a operação multimídia da Bloomberg Linea no Brasil.

PUBLICIDADE