Tech

Robinhood demite 23% em seu primeiro ano como empresa de capital aberto

Corretora online já tinha cortado 9% da equipe em abril; novos cortes impactam todos aspectos do negócio

El sitio web de Robinhood en un ordenador portátil dispuesto en Hastings-On-Hudson, Nueva York, Estados Unidos, el viernes 29 de enero de 2021. Fotógrafo: Tiffany Hagler-Geard/Bloomberg
Por Annie Massa
02 de Agosto, 2022 | 06:07 pm
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg — A Robinhood Markets (HOOD) cortou quase um quarto de sua força de trabalho em uma ampla reorganização após um punitivo primeiro ano como empresa de capital aberto.

Os cortes, que afetam todos os aspectos do negócio, estão “concentrados em operações, marketing e funções de gerenciamento de programas”, disse o CEO Vlad Tenev nesta terça-feira (2), em comunicado.

As reduções de pessoal seguem uma rodada anterior de cortes em abril, quando a Robinhood eliminou cerca de 9% de sua equipe. Depois que a pandemia impulsionou a empresa para uma oferta pública inicial em julho de 2021, os negócios caíram, com usuários ativos mensais em seu aplicativo caindo acentuadamente.

A Robinhood também divulgou os resultados do segundo trimestre um dia antes do previsto, dizendo que seu prejuízo líquido no período foi de US$ 295 milhões, ou 34 centavos por ação.

PUBLICIDADE

As ações da Robinhood, que perderam cerca de três quartos de seu valor desde a oferta pública inicial da empresa em julho do ano passado, rondavam a estabilidade no after-market às 17h18 de Brasília.

Na reorganização, a empresa fará a transição para um modelo em que “gerentes gerais” assumem ampla responsabilidade por partes do negócio para se livrar de hierarquias, disse Tenev. Ele afirmou aos funcionários que eles receberiam uma mensagem por aplicativos de mensagem sobre seu status. Os funcionários afetados pelos cortes podem permanecer até 1º de outubro.

Leia também:

Robinhood corta 9% da equipe em tempo integral após ‘hiper crescimento’

PUBLICIDADE