Negócios

Homem mais rico da Ásia quer expandir com foco em infraestrutura

Ambições globais do bilionário foram reforçadas por sucessos recentes, incluindo a conquista de um acordo portuário em Israel

Adani disse que vários governos estrangeiros estão procurando sua empresa
Por P R Sanjai e Rajesh Kumar Singh
26 de Julho, 2022 | 01:07 pm
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg — Gautam Adani, o homem mais rico da Ásia, planeja reforçar a presença de seu império fora da Índia com projetos de infraestrutura, enquanto vê seu conglomerado ganhar impulso para crescer.

“Vários governos estrangeiros estão nos procurando agora para trabalhar em suas geografias e ajudar a construir sua infraestrutura”, disse Adani em um discurso virtual aos acionistas na assembleia geral anual da Adani Enterprises nesta terça-feira (26). “Portanto, em 2022, também lançamos as bases para buscar uma expansão mais ampla além das fronteiras da Índia.”

As ambições globais do bilionário foram reforçadas por sucessos recentes, incluindo a conquista de um acordo portuário em Israel e a atração de investimentos de investidores estrangeiros, incluindo a TotalEnergies, para seus negócios de energia limpa. O grupo aumentou recentemente sua presença em infraestrutura doméstica ao adquirir as operações indianas da empresa suíça de materiais de construção Holcim, um acordo que torna a Adani a segunda maior fabricante de cimento do país.

Adani elogiou as conquistas da Índia - e de sua própria empresa - em maiores investimentos em energia verde, apesar dos recentes desafios impostos pela pandemia e pela crise energética global. A Índia viu os investimentos de capital em energia renovável saltarem 125% no ano encerrado em março, disse Adani, acrescentando que 75% da demanda de energia do país deve ser atendida com energia limpa ao longo do tempo.

PUBLICIDADE

No entanto, ao discutir as conquistas em instalações de energia limpa, o bilionário evitou mencionar o carvão, o combustível fóssil mais sujo, que viu a demanda se recuperar tardiamente em muitos países, incluindo a Índia, impulsionando as operações de comércio e mineração de carvão de Adani.

Outros destaques do discurso de Adani estão abaixo:

  • O grupo espera que a Índia emerja como exportador líquido de energia limpa, disse Adani, ecoando o compatriota Mukesh Ambani;
  • Adani, agora a maior operadora de aeroportos do país, planeja construir “aerotrópoles” ao redor das instalações;
  • O grupo investiu em setores que vão desde data centers, superaplicativos e nuvens industriais até defesa e aeroespacial, metais e materiais, alinhando suas estratégias ao objetivo de autossuficiência do governo
  • O valor de mercado crescente do grupo foi apoiado por um aumento nos fluxos de caixa, e as adições de capacidade estão gerando margens de lucro mais amplas.

“Embora possamos olhar para trás e nos sentirmos satisfeitos, só agora estamos ganhando um impulso real”, disse Adani aos acionistas.

Veja mais em bloomberg.com

PUBLICIDADE

Leia também:

IPO da Porsche, competição com Tesla e EVs: os desafios do novo CEO da Volkswagen

Inflação é ameaça? Não para a Volvo, que pretende até limitar novos pedidos

PUBLICIDADE