Cripto

Bitcoin recua para a mínima de uma semana à espera do Fed

Investidores ligaram o modo cautela antes da decisão de politica monetária dos Estados Unidos, que deve elevar, mais uma vez, a taxa de juros do país na próxima quarta

O maior token do mundo recuava 5,9% nesta terça-feira (26), negociado a cerca de US$ 21.100 às 8h10 (horário de Brasília).
Por Joana Ossinger
26 de Julho, 2022 | 08:15 am
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg — O Bitcoin caiu para uma baixa de uma semana, atingido pelo nervosismo dos investidores antes de um iminente aumento da taxa de juros do Federal Reserve e em meio a um escrutínio regulatório mais rigoroso do setor de criptomoedas.

O maior token do mundo recuava 5,9% nesta terça-feira (26), negociado a cerca de US$ 21.100 às 8h10 (horário de Brasília).

O recuo afeta as expectativas de uma recuperação sustentada do Bitcoin e colocou o token de volta a uma faixa de negociação entre aproximadamente US$ 19.000 e US$ 22.000. O apetite por risco geralmente está em desvantagem antes de um aumento esperado de 75 pontos-base para a taxa básica de juros do Federal Reserve, o banco central americano, na quarta-feira, parte de um ciclo de aperto que está minando a liquidez.

“Tivemos alguma estabilização nas últimas semanas e isso deu a algumas pessoas confiança de que talvez um fundo estivesse sendo estabelecido”, disse Katie Stockton, cofundadora da Fairlead Strategies, à Bloomberg Television. “Não estamos tão convencidos.”

PUBLICIDADE

Taxas de juros crescentes e colapsos de alto nível, como o do fundo de hedge de criptomoedas Three Arrows Capital, derrubaram os tokens digitais este ano. O Bitcoin caiu 55% desde o início de 2022.

A Coinbase, por exemplo, está enfrentando uma investigação dos EUA sobre se permitiu que os americanos negociassem indevidamente ativos digitais que deveriam ter sido registrados como títulos, de acordo com pessoas familiarizadas com o assunto. As ações da Coinbase caíam até 4,8% nas negociações de pré-mercado após o relatório.

Somando-se à incerteza sobre a direção dos criptoativos, está o pano de fundo das tensões geopolíticas, com a Rússia cortando o fornecimento de gás para a Europa e aumentando os preços dos alimentos, alimentando preocupações sobre a instabilidade nos mercados em desenvolvimento. O dólar americano está em alta em relação a todas as principais moedas dos mercados desenvolvidos este ano, proporcionando outro vento contrário para os tokens digitais.

“As crescentes tensões geopolíticas podem fornecer algum suporte subjacente ao dólar, o que pode reduzir o apetite ao risco, pesando sobre as criptos”, disse Edward Moya, analista sênior de mercados da Oanda.

PUBLICIDADE

--Com a colaboração de Emily Nicolle

Leia também

Startup Casai fica sem dinheiro, demite e negocia fusão com a Nomah, da Loft

PUBLICIDADE