Mercados

Petróleo oscila com traders de olho em indicadores e decisão de juros nos EUA

Traders aguardam nova reunião do banco central americano, o Federal Reserve, que deve elevar novamente as taxas dos EUA

O WTI para entrega em setembro subia 0,8%, para US$ 95,58 o barril às 7h57 (horário de Brasília), apagando uma queda de 1,8%.
Por Sharon Cho e Alex Longley
25 de Julho, 2022 | 08:00 am
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg — Os preços do petróleo oscilavam com preocupações sobre a fraqueza da economia global e os sinais de oferta física mais apertada.

O West Texas Intermediate (WTI) subia levemente, seguindo a alta do dólar, que torna as commodities precificadas na moeda mais atraentes. Ainda assim, o mercado futuro de petróleo está enfrentando sinais de uma possível recessão nos Estados Unidos, com expectativa de que o Federal Reserve, o banco central americano, eleve mais uma vez as taxas de juros nesta semana.

Os temores estão forçando alguns traders a olhar além dos sinais de profunda tensão na disponibilidade de barris de petróleo na economia real. O contrato mais próximo do Brent de referência global está mais de US$ 5 acima do mês seguinte, o máximo deste mês, indicando preocupações com a oferta de curto prazo. Alguns compradores na Ásia estão pagando prêmios de mais de US$ 20 por barril para garantir certos tipos de petróleo.

“Embora os preços tenham sido voláteis, espero uma pressão de queda renovada sobre o petróleo”, disse Vandana Hari, fundadora da Vanda Insights. A reunião do Fed “provavelmente servirá como um novo lembrete dos ventos contrários econômicos”.

PUBLICIDADE

O mercado de petróleo tem visto crises de volatilidade recentemente, caracterizadas por fortes oscilações e baixa liquidez, à medida que os investidores manipulam as perspectivas de oferta e demanda concorrentes. O petróleo bruto subiu cerca de 25% no ano, embora os futuros tenham desistido da maioria dos ganhos vistos após a invasão da Ucrânia pela Rússia no final de fevereiro.

A invasão da Rússia levou muitos consumidores a se afastarem de Moscou, com a Arábia Saudita e o Iraque preenchendo grande parte dessa lacuna na Europa. Os EUA estão defendendo um teto de preço do petróleo russo para limitar as receitas que fluem para o Kremlin para financiar sua guerra.

Preços do petróleo

  • O WTI para entrega em setembro subia 0,8%, para US$ 95,58 o barril às 7h57 (horário de Brasília), apagando uma queda de 1,8%.
  • O Brent no mesmo mês subia 1,2%, para US$ 104,47 o barril.

Um segmento do enorme oleoduto Keystone que entrega petróleo canadense ao principal centro de armazenamento dos EUA em Cushing restaurou as operações normais na sexta-feira após uma interrupção no fornecimento de energia. O serviço ainda estava sujeito a reduções de capacidade no meio do mês, de acordo com um boletim obtido pela Bloomberg.

Leia também

Santander abre resultados de bancos. Analistas vão observar este indicador

PUBLICIDADE