Negócios

Até ela: Apple prepara raro desconto no iPhone para compradores da China

Empresa, geralmente relutante em alterar os preços, vai reduzir em até 600 yuans (US$ 89) o preço de sua série iPhone 13 Pro entre 29 de julho e 1º de agosto

Os descontos ocorrem quando a economia da China tenta se recuperar dos grandes lockdowns da Covid-19
Por Bloomberg News
25 de Julho, 2022 | 08:31 am
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg — A Apple (AAPL) anunciou uma rara promoção de varejo na China nesta segunda-feira (25), oferecendo quatro dias de descontos em seus iPhones de primeira linha e acessórios relacionados antes do lançamento de seus dispositivos de próxima geração.

A empresa, geralmente relutante em alterar os preços, vai reduzir em até 600 yuans (US$ 89) o preço de sua série iPhone 13 Pro entre 29 de julho e 1º de agosto, de acordo com um aviso em seu site. Para se qualificar, os compradores precisam usar uma das várias plataformas de pagamento, como o Alipay da Ant Group. Alguns modelos de AirPods e Apple Watch também fazem parte da promoção.

Os descontos ocorrem quando a economia da China tenta se recuperar dos grandes lockdowns da Covid-19 nos centros de negócios de Xangai e Pequim, que prejudicaram as vendas das principais marcas domésticas de smartphones, como Xiaomi, Vivo e Oppo. A Apple contrariou a tendência ao registrar um crescimento saudável nos embarques da China em junho, de acordo com estatísticas nacionais, embora os descontos sugiram que até mesmo ela tenha estoque excedente no segundo semestre do ano.

O enfraquecimento da demanda do consumidor, inflação e problemas na cadeia de suprimentos provocaram uma queda de 9% nas remessas globais de smartphones no segundo trimestre, disse a empresa de pesquisa Canalys este mês. As empresas chinesas sofreram o impacto desse golpe, registrando quedas de dois dígitos.

PUBLICIDADE

Tradicionalmente, a Apple mantém os preços do iPhone inalterados entre gerações, embora a turbulência econômica deste ano já a tenha levado a um movimento incomum: aumentar os preços no Japão em resposta ao iene drasticamente enfraquecido.

A empresa oferece várias opções de pagamento na China, incluindo planos de parcelamento e preços mais baixos para estudantes. Mas há anos se abstém de dar descontos em seus principais produtos no país.

Leia também

Mercados em compasso de espera em semana de Fed, FMI e balanços de pesos-pesados

Santander abre resultados de bancos. Analistas vão observar este indicador

PUBLICIDADE