Internacional

Mercados no início do semestre e outros 4 fatos para começar o dia

Veja os assuntos que devem marcar o sentimento dos mercados ao redor do mundo nesta sexta-feira (1)

Inicia el segundo semestre del año
Por Bloomberg News e Heather Burke
01 de Julho, 2022 | 09:28 am
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — O mês de julho começa com volatilidade nos mercados, à espera de mais dados que apontem - ou não - para uma recessão. O diretor de investimentos do JPMorgan Asset Management alerta para uma inflação que pode se tornar “destrutiva”. Já a agenda econômica do dia está relativamente tranquila, mas guarda dados importantes.

1. Segundo semestre

O índice S&P 500 teve seu pior primeiro semestre desde 1970. Mas isso não é necessariamente uma indicação do que está por vir, já que historicamente houve pouca ou nenhuma correlação entre o desempenho do índice no primeiro e no segundo semestre do ano. Mas o risco de uma liquidação nos mercados de ações continua alto, já que os investidores precificam por enquanto apenas uma leve recessão, de acordo com estrategistas do Goldman Sachs (GS), porém temem que a economia global possa se contrair em meio à inflação descontrolada e ao aperto monetário dos bancos centrais.

2. Horizonte sombrio

Uma recessão nos Estados Unidos é vista como cada vez mais provável, de acordo com o diretor de investimentos do JPMorgan Asset Management, Bob Michele, já que as altas expectativas de inflação podem se tornar “destrutivas”. Enquanto isso, a inflação na zona do euro acelerou mais do que o esperado em junho em relação ao ano anterior para um novo recorde, pressionando a alta dos rendimentos dos títulos regionais.

3. Volatilidade

Se a primeira metade do ano foi difícil para títulos e ações, o que dizer das criptomoedas? O bitcoin perdeu mais da metade de seu valor este ano. No caso do Ethereum, as perdas estão mais próximas dos 70%. A primeira sessão do novo trimestre foi volátil até agora, com o bitcoin subindo até 11,3% antes de voltar a ser negociado abaixo dos US$ 20 mil. Os problemas podem ser vistos também em credores como a BlockFi, que foi atingida por uma crise de liquidez. A gigante da indústria FTX quer adquirir a BlockFi por cerca de US$ 25 milhões, bem abaixo de sua avaliação de US$ 3 bilhões há apenas 15 meses.

PUBLICIDADE

4. Altos e baixos

As ações oscilavam na manhã de hoje, no horário de Brasília. O Euro Stoxx 50 chegou a subir 0,2% às 6h20, mas voltou a cair e perto das 8h50 caía 0,48%. Nos EUA, os futuros de Dow Jones, S&P e Nasdaq também caíam. O dólar se fortalecia relação à maioria das principais moedas, e subia 0,56% ante o real. Os futuros do petróleo subiram mais de 1,5%, o ouro à vista caiu cerca de US$ 11, para cerca de US$ 1.795 a onça.

5. Também hoje...

Encerramos a semana com os números do PMI de manufatura de junho da S&P Global, às 10h45 no horário de Brasília. A fabricação de ISM para junho e os gastos com construção para maio estão previstos para às 11h. A contagem de sondas da Baker Hughes será divulgada às 13h. Fabio Panetta e Pablo Hernandez de Cos, do BCE, serão ouvidos ainda hoje. No Brasil, destaque para os dados da balança comercial às 15h. Mais cedo, perto das 10h, é esperada a divulgação dos números do PMI Industrial para junho.

– Esta notícia foi traduzida por Melina Flynn, Content Producer da Bloomberg Línea.

Veja mais em Bloomberg.com

PUBLICIDADE

Leia também

Petróleo se recupera do tombo com preocupações por exportação da Líbia