Brasil

Desemprego no Brasil cai abaixo de 10% pela primeira vez desde 2016

O número de desempregados ficou em 10,6 milhões, uma queda de 30,2% em relação ao mesmo período do ano anterior, segundo o IBGE; renda caiu 7,2%

Número de brasileiros empregados cresce neste início de ano com a retomada da economia
Por Matthew Malinowski
30 de Junho, 2022 | 11:13 am
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg — A taxa de desemprego no Brasil caiu mais do que o esperado, seguindo a criação de empregos e se somando aos sinais de que a maior economia da América Latina vem se recuperando desde o início do ano, em meio ao aquecimento da corrida presidencial.

A taxa de desemprego caiu para 9,8% nos três meses até maio, de acordo dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quinta-feira (30), abaixo da estimativa de 10,2% dos economistas em pesquisa da Bloomberg. A taxa é a menor desde janeiro de 2016. No trimestre encerrado em abril, a taxa estava em 10,5%.

Por outro lado, os efeitos da inflação nos maiores patamares em duas décadas estão corroendo o poder de compra dos trabalhadores empregados: o rendimento real habitual ficou em R$ 2.613, estável em relação ao trimestre encerrado em fevereiro e 7,2% abaixo do mesmo período de 2021.

Desemprego no Brasil: abaixo de dois dígitos pela primeira vez desde 2016dfd

Questões econômicas, como a criação de empregos, estão no centro dos holofotes enquanto o presidente Jair Bolsonaro e Luiz Inácio Lula da Silva organizam suas campanhas presidenciais.

PUBLICIDADE

Muitos analistas aumentaram suas previsões de crescimento para o país ainda em 2022, à medida que os fluxos de dinheiro originados da renda do trabalhador empregado impactam o consumo. Ainda assim, as empresas que precisam de mais mão-de-obra estão sendo pressionadas por custos de empréstimos de dois dígitos e as altas taxas de inflação.

O número de desempregados ficou em 10,6 milhões, uma queda de 30,2% em relação ao mesmo período de 2021 e de 11,5% em relação ao trimestre anterior, segundo o IBGE. Enquanto isso, o número de trabalhadores empregados subiu para 97,5 milhões, o maior da série de dados iniciada em 2012.

O Brasil criou cerca de 277.000 empregos formais em maio, de acordo com dados do governo divulgados na terça-feira (28) - acima da previsão média de cerca de 181.000 postos de trabalho.

– Esta notícia foi traduzida por Melina Flynn, Content Producer da Bloomberg Línea.

PUBLICIDADE

- Com a Bloomberg Línea.

Leia também

Mercados caem com hesitação de BCs e antes de dado de inflação dos EUA

Otimismo de CFOs cai para mínima de quase 10 anos nos EUA

PUBLICIDADE